As preocupações com o futuro do planeta são cada vez maiores. Umas dessas preocupações tem relação com a matriz energética mundial, onde a busca por fontes alternativas de energia vem sendo fundamental. Neste contexto, a biomassa utilizada como combustível de caldeiras parece que terá papel central.

Em todo o mundo, a mudança da matriz energética se baseará na troca dos combustíveis fósseis e não-renováveis por fontes energéticas alternativas mais renováveis, caso da biomassa.

Mas essa fonte energética ainda é vista por algumas pessoas com certo descrédito. Muitas pessoas têm grande desconhecimento sobre o que é a biomassa, outras acreditam que ela não é eficiente, nem tão sustentável como dizem.

Por isso, apresentaremos no texto de hoje 6 curiosidades e questões mais técnicas sobre essa fonte energética, que certamente contribuirão com a mudança da matriz energética brasileira e mundial.

Baixe nosso e-book gratuitamente e conheça os modelos de caldeiras e aplicações da biomassa

  1. A Biomassa é utilizada há muito tempo!

Essa fonte para geração energética é mais antigo do que imaginamos, sendo datada desde os primórdios da humanidade, por meio do uso da madeira para gerar fogo utilizado na cocção de alimentos, aquecimento e iluminação.

Mas o grande salto ocorreu com o advento da lenha na siderurgia, ocorrida no período da Revolução Industrial. Durante todo o século XIX, com a tecnologia a vapor, a biomassa começou a ter papel primordial também para obtenção de energia mecânica com aplicações em diversos setores industriais.

Porém, com o tempo a biomassa rapidamente perdeu sua liderança para a energia do carvão, petróleo e gás natural. Assim, sua utilização ficou reduzida praticamente às regiões agrícolas por muito tempo.

Mas com o colapso do petróleo na década de 70, essa fonte limpa voltou a ganhar os holofotes, que juntamente com a necessidade por maior sustentabilidade (ocorrida mais recentemente), vem aumentando lentamente sua participação na matriz energética mundial.

  1. Biomassa no Brasil: excelentes perspectivas 

Quando falamos no uso da biomassa na mudança da matriz energética, o Brasil apresenta papel de destaque no âmbito mundial.

O território brasileiro possui condições bastante favoráveis para a produção de energias limpas. Temos a existência de grandes áreas agricultáveis, que recebem radiação solar intensa e chuvas regulares todo o ano, temos também um perfil naturalmente mais sustentável. Tais fatos propiciam a produção da biomassa com bastante eficiência.

Atualmente, o Brasil é um dos países com matriz energética mais renovável do mundo, onde a maior parte da energia consumida é proveniente de fontes renováveis como a hidroeletricidade e várias formas de biomassas.

Os números provam isso. As energias renováveis representam aproximadamente 44% da matriz energética brasileira, contra só 15% do resto do mundo. E a tendência é que esses números brasileiros aumentem, tendo na biomassa ótimas perspectivas futuras de crescimento.

  1. Ao queimar a biomassa, estou queimando árvores?

Do ponto de vista energético, a biomassa é caracterizada por ser toda matéria orgânica de origem vegetal ou animal que pode ser usada com a finalidade de produzir energia. Porém, muitas pessoas acreditam que a queima da madeira para produzir vapor significa cortar árvores para queimá-las, mas não é bem assim.

Biomassa

A grande maioria das atividades agrícolas e florestais ao redor do planeta gera resíduos, geralmente em quantidades elevadíssimas. O que ocorre é que tais resíduos, quando não aproveitados de alguma forma, geram gases danosos ao efeito estufa durante seu processo de decomposição.

Em consequência disso, a utilização de tais resíduos como combustível se torna extremamente recomendável, pois além de evitar sua decomposição, reduz também a utilização do combustível fóssil, tendo assim um duplo ganho ambiental, além da geração de energia para diversos processos.

  1. Nem toda biomassa é resíduo

De fato, o resíduo representa uma das principais formas combustíveis da biomassa, mas vale lembrar que nem toda essa energia gerada é decorrente unicamente de um resíduo.

Com a maior popularização das energias renováveis, essa energia limpa vem sendo cada vez mais um negócio lucrativo, tanto que já existe uma tendência mundial para o plantio de variedades agrícolas que tem como finalidade a produção de biomassa para a geração de energia.

Essas variedades agrícolas vêm sendo chamadas de Energy Crops, Culturas Energéticas ou simplesmente florestas energéticas. Elas são plantadas com o objetivo de evitar a pressão do desmatamento sobre as florestas naturais, além de, claro, contribuírem para o fornecimento de biomassa, lenha e carvão de origem vegetal para a geração energética.

Caracterizadas pelo reflorestamento para uso energético, essas florestas diminuem a pressão sobre as florestas nativas, desempenhando também importante papel na utilização e revitalização de terras degradadas.

Neste contexto, o Brasil sai na frente, pois detém conhecimento técnico e científico em nível de excelência na área de Silvicultura. Esse maior conhecimento, somado à disponibilidade de terras e às condições favoráveis de solo e clima, possibilitam que a produção de biomassa florestal seja crescente para os próximos anos.

  1. Só a madeira pode ser fonte de combustível?

Certamente, os derivados da madeira são os combustíveis mais comuns quando falamos no uso da biomassa, principalmente em caldeiras industriais que aceitam esse combustível. Entretanto, ela é bem mais que o simples uso da madeira e seus derivados.

A madeira é, sem dúvidas, uma das protagonistas. Mas essa energia limpa também oferece a possibilidade de ser produzida a partir de uma grande variedade de materiais, tais como resíduos agrícolas, pecuários, industriais e até resíduos urbanos.

O uso dessa grande variedade de opções proporciona flexibilidade e segurança ao mercado, fato que não ocorre com os combustíveis fósseis, principalmente petróleo, cuja variação e elevação dos preços está crescente nos últimos anos.

Outro ponto é que, ao utilizar os resíduos agrícolas, pecuários, industriais e urbanos para produzir eletricidade, qualquer empresa pode receber o “selo sustentável” na mente de seus consumidores, fato esse que será primordial daqui para frente na escolha de um produto sustentável em detrimento daquele não sustentável.

  1. Biomassa no desenvolvimento das nações

Quando utilizada de forma planejada, a biomassa se configura como uma importante ferramenta para o crescimento econômico e tecnológico das nações, principalmente aquelas em desenvolvimento.

Fatores primordiais nessas nações, como a luta contra a pobreza, geração de emprego, independência energética e adaptação às alterações climáticas podem ser melhor contornados com o auxílio da biomassa.

Entretanto, muitos governantes destes países em desenvolvimento desestimulam as pessoas no uso da lenha ou do carvão como combustível, pois consideram essas fontes como um “combustível atrasado”, não limpo e que estimula o desmatamento, mas isso só penaliza os mais pobres quanto às suas necessidades energéticas.

Ao contrário disso, tais governos deveriam abraçar a ideia, legalizando a biomassa como fonte de energia do presente (e não mais do futuro!), adotando para isso políticas que tornem as cadeias de fornecimento sustentáveis ainda mais vantajosas.

Neste caso, o Brasil está à frente quando comparado com a grande maioria dos países em desenvolvimento. Além das condições territoriais e climáticas favoráveis pertinentes ao país, muitas já são as ações sustentáveis no uso da biomassa, caso do uso do etanol derivado da cana-de-açúcar em veículos biocombustíveis e fabricação de caldeiras a biomassa com tecnologia nacional.

Caldeira a biomassa FULL Secamaq

Mas, muitos avanços são ainda necessários, principalmente na tangente da regulamentação e nas estratégias relacionadas ao plano de negócio que gere renda à empresa.

Curiosidades sobre a fumaça que sai da caldeira 

Mas você deve estar se perguntando: “tá, mas e a fumaça? ”. Então, todos nós temos pré-conceito de que a fumaça é a causadora da poluição. Mas aqui, vamos abordar brevemente o que ocorre com a fumaça que sai da caldeira.

A fumaça que sai da caldeira é composta na maior parte por vapor, ou seja, água. E os resíduos que ainda saem dela estão dentro dos limites estabelecidos pelas entidades reguladoras de meio ambiente.

Para limpar a fumaça dos resíduos da queima e gases tóxicos que são gerados, são utilizados os seguintes meios para filtragem:

  • Filtro Multiciclone
  • Filtros de mangas
  • Lavador de gases
  • E o principal, utilização de automação elétrica informatizada para o controle da combustão na caldeira.

Agora que você já conhece várias curiosidades sobre a biomassa é hora de conhecer as vantagens ao adquirir uma caldeira a biomassa