Conheça os principais tipos de combustíveis utilizados em caldeiras

Conheça os principais tipos de combustíveis utilizados em caldeiras

A caldeira é um equipamento amplamente utilizado por diversas indústrias. Sua função principal é realizar a produção de vapor utilizado em diversas utilidades dentro do processo industrial. Mas, para que esse processo seja realizado, há na necessidade de uso dos combustíveis utilizados em caldeiras.

No ambiente industrial, a variedade de combustíveis utilizados em caldeiras é bastante grande, com cada um deles resultando em um desempenho específico que costuma variar de acordo com suas características e a variedade da caldeira utilizada.

Saiba mais sobre os principais combustíveis utilizados em caldeiras e entenda qual é a importância da biomassa para o atual momento, principalmente em razão do seu grande apelo no quesito sustentabilidade.

Principais combustíveis utilizados em caldeiras

Existem diversos tipos de combustível que podem ser utilizados nas caldeiras industriais. Tais combustíveis podem ser divididos em três grandes grupos: sólidos, líquidos e gasosos.

Combustíveis líquidos

Os combustíveis líquidos podem ser subdivididos em minerais e não minerais. Os combustíveis minerais são obtidos através da refinação do petróleo, tendo como resultado a gasolina, o óleo diesel e o óleo combustível. Os combustíveis líquidos não minerais são representados pelos álcoois e os óleos vegetais.

Os óleos combustíveis são os principais combustíveis de caldeiras industriais, mesmo com a elevação de seu preço nos últimos anos. No caso de indústrias o óleo diesel não é usualmente utilizado em fornos e caldeiras, porém pode ser empregado em geradores de energia. Já o Óleo Combustível é largamente utilizado na indústria para aquecimento de caldeiras.

Combustíveis gasosos

Os combustíveis gasosos, que também podem ter características minerais e não minerais, têm como principais representantes o Gás Natural e o Gás GLP (gás liquefeito de petróleo).

O Gás Natural é um combustível amplamente encontrado na natureza. Ele é representado por uma mistura de hidrocarbonetos leves que, à temperatura ambiente e pressão atmosférica, permanece no estado gasoso.

Este é também um gás inodoro e incolor, além de oferecer uma queima mais limpa quando comparado aos demais gases. Oferece ainda boa eficiência de queima e rendimento térmico. Porém, por se tratar de um combustível fóssil, ele representa uma fonte de energia não renovável, portanto, finita.

O Gás GLP (Gás liquefeito de petróleo), por sua vez, é produzido a partir de uma mistura de hidrocarbonetos, possuindo alto poder calorífico, associado a um baixo impacto ambiental e facilidade de queima e armazenamento.

Nas indústrias, o GLP é um combustível para caldeiras bastante interessante, principalmente devido às vantagens, tais como economia, alta facilidade de queima e menor gasto do combustível durante seus processos de queima.

Combustíveis sólidos

Os combustíveis sólidos representam, nos últimos anos, os combustíveis utilizados em caldeiras que mais crescem no ambiente industrial. Isso ocorre em razão do seu grande apelo ambiental, visto que são combustíveis ditos renováveis e que apresentam alta disponibilidade/variedade.

Hoje em dia, a biomassa é o grande representante de combustíveis sólidos. Ela se apresenta em muitas formas e características, tais como os derivados de madeira, restos de alimentos e subprodutos da colheita da cana-de-açúcar, caso do bagaço da cana.

Vale ressaltar ainda que mesmo sendo o principal representante dos combustíveis sólidos, a biomassa pode se apresentar também na forma líquida, caso do biodiesel e do etanol e na forma gasosa, encontrada nos efluentes agropecuários provenientes da agroindústria e do meio urbano.

Pela sua importância como combustível para caldeiras industriais, a biomassa será melhor apresentada no tópico a seguir.

Biomassa: o combustível do século XXI

A biomassa é um combustível que sempre foi utilizando ao longo da história, afinal o homem sempre queimou a madeira para gerar calor. Mas, com o avanço da tecnologia e o aumento da busca pela sustentabilidade, essencialmente no setor industrial, a biomassa tornou-se definitivamente o combustível do século XXI.

Considerada uma fonte de energia renovável, o uso da biomassa é um dos combustíveis utilizados em caldeiras de todo o mundo, pois permite que a indústria consiga produzir ótimos volumes de energia, sempre associada à redução da emissão de gases poluentes na atmosfera.

No Brasil, a biomassa também se comporta como um dos principais combustíveis utilizados em caldeiras, principalmente devido à alta produção agroflorestal e condições climáticas favoráveis.

Assim, além da questão ligada à sustentabilidade, os combustíveis utilizados em caldeiras que são derivados da biomassa apresentam os seguintes benefícios:

  • Baixo custo para compra – principalmente da biomassa sólida, devido à alta disponibilidade;
  • Pouco poluente, não emitindo dióxido de carbono (de acordo com o ciclo natural de carbono neutro);
  • Responsável por causar menor corrosão das caldeiras;
  • Proporciona melhor custo x benefício às indústrias.

Por fim, vale salientar que é fundamental buscar aqueles combustíveis que mais se adequem às necessidades, ocasionando maior economia e produtividade.

Quer saber mais sobre caldeiras? Então conheça os tipos mais encontrados no mercado.

CORROSÃO EM CALDEIRAS E COMO EVITAR ESSE PROBLEMA

CORROSÃO EM CALDEIRAS E COMO EVITAR ESSE PROBLEMA

Caldeiras são equipamentos geradores de vapor que funcionam sempre sob alta pressão, estando por isso sujeitas a ocorrência de explosões que, em alguns casos, podem ser até fatais para trabalhadores. Mas você sabia que uma das principais causas de explosão é a corrosão em caldeiras?

Quando não há medidas preventivas, a corrosão pode representar um dos maiores causadores de sérias ocorrências que comprometem o funcionamento das caldeiras e o andamento da empresa.

Por isso, é essencial falar sobre a corrosão em caldeiras. Veja o que é a corrosão em caldeiras, saiba quais são suas causas e entenda quais são as medidas que precisam ser adotadas para reduzir os efeitos deste problema.

O que é a corrosão em caldeiras?

Certamente você já deve ter notado alguns materiais metálicos que apresentam certo desgaste, porosidade e com uma cor marrom-avermelhada (“cor de ferrugem”).

Esse fenômeno é denominado corrosão e ocorre de forma quase que natural, decorrente do desgaste de materiais metálicos. Mas em caldeiras, a corrosão pode representar um sério problema, principalmente pela possível formação de fissuras e redução da espessura das paredes da caldeira.

A atuação dos elementos corrosivos em caldeiras é “silenciosa” e não detectável pelos instrumentos de operação da caldeira. Além disso, os pressostatos e as válvulas de segurança não impedem essas explosões, uma vez que elas não são necessariamente acompanhadas de elevação de pressão de operação.

Em caldeiras a corrosão pode ocorrer:

  • Internamente aos tubos, coletores etc., principalmente pela deficiência de tratamento da água e, no caso da presença de oxigênio (O2) e dióxido de carbono (CO2) dissolvidos, devido à má desaeração;
  • Externamente aos tubos, pela formação de sais de vanádio (se conter no óleo combustível) que agem como catalisadores na criação de ácido sulfúrico a partir de S02.

Já na parte externa da caldeira, a corrosão também ocorre, principalmente em virtude das condições atmosféricas.

Principais elementos causadores de corrosão em caldeiras

A corrosão em caldeiras aparece de três formas diferentes: localizada, por pite ou alvéolo. Mas, independentemente da variedade da corrosão é preciso identificar quais são os elementos principais desse sério problema.

Entre os principais elementos causadores de corrosão em caldeiras, pode-se citar como mais importantes:

  • pH ácido;
  • Oxigênio dissolvido;
  • Teores elevados de hidróxido de sódio e de cloretos, causadores da corrosão salina;
  • Presença de cobre e níquel, causadores da corrosão galvânica;
  • Presença de sólidos suspensos e de gás sulfídrico;
  • Depósitos porosos, complexantes ou quelantes;
  • hide-out ou ocultamento;
  • Com menor frequência, correntes de fuga e choques térmicos.

Já a corrosão em linhas de condensado pode ocorrer por conter no vapor, oxigênio, dióxido de carbono, amônia, dióxido de enxofre e gás sulfídrico.

Vemos também que o oxigênio é o principal agente corrosivo em linhas de condensado. Na mesma concentração que o dióxido de carbono, sua taxa de corrosão é de seis a dez vezes maior.

Medidas para prevenir a corrosão em caldeiras

A corrosão em caldeiras pode ser uma ocorrência inevitável sob algumas circunstâncias, assim, o melhor meio para reduzir os problemas causadores de corrosão é a prevenção. Vários tratamentos podem ser utilizados para combater esse processo, baseados em:

  • Tratamentos externos nas águas de alimentação;
  • Tratamentos internos nas águas de caldeiras.

Os tratamentos externos nas águas de alimentação ocorrem através da sua clarificação com agentes e equipamentos adequados. Estes tratamentos compreendem:

 – Remoção da turbidez, cor e gases;

 – Retirada de ferro, manganês e de dureza;

 – Desmineralização; 

 – Remoção de gases.

Os tratamentos internos, por sua vez, ocorrem por meio da remoção química do oxigênio por meio de desaeração com sulfito de sódio, com hidrazina e pela neutralização de dióxido de carbono.

Nas caldeiras de baixa e média pressão, os tratamentos podem ser: precipitante – fosfato mais polieletrólito; complexométrico; misto e dispersante.

Já nas caldeiras de alta pressão, é preciso trabalhar com água desmineralizada e condensada recuperada com a máxima pureza.

Os diferentes tratamentos internos utilizados em caldeiras de alta pressão são controle de coordenação e de congruente, controle zero sólido e com soda cáustica.

Além disso tudo, a manutenção periódica de caldeiras (https://www.secamaq.com.br/blog/manutencao-de-caldeiras/) e a limpeza deste equipamento são fundamentais para evitar ocorrências mais sérias relacionadas à corrosão.

Por isso, para evitar ocorrências mais sérias, as caldeiras industrias devem receber manutenção e limpeza de acordo com as recomendações do fabricante.

A empresa deve também adquirir caldeiras fabricadas por empresas que priorizam a máxima qualidade construtiva, que utilizam produtos de excelente qualidade, e que são produzidas por profissionais devidamente qualificados. Quer saber mais? Então veja quais são os principais cuidados que você deve ter para manter o bom funcionamento da sua caldeira: https://www.secamaq.com.br/blog/5-cuidados-que-voce-deve-ter-para-manter-o-bom-funcionamento-da-sua-caldeira/

5 cuidados que você deve ter para manter o bom funcionamento da sua caldeira

5 cuidados que você deve ter para manter o bom funcionamento da sua caldeira

Caldeiras são geradores de grandes quantidades de vapor, que será usado em vários processos dentro da indústria. Toda caldeira trabalha sempre sob alta pressão e temperatura, exigindo bastante de todos seus componentes.

Por serem amplamente exigidas, as caldeiras são sujeitas a riscos que podem comprometer o bom funcionamento, a eficiência e a segurança da indústria como um todo.

Para evitar que estes problemas e impedir que se tornem mais sérios, o gestor da indústria precisa adotar alguns cuidados que fazem com que sua caldeira tenha um funcionamento constante.

Quer conhecer esses cuidados? Confira a seguir os 5 principais.

  1. Manutenção preventiva e programada da sua caldeira

Em qualquer equipamento de uma indústria, a manutenção preventiva é um dos pontos principais para que possíveis problemas sejam constatados e tenha sua solução antecipada. Na sua caldeira a manutenção preventiva tem a mesma importância.

Quando bem planejada e realizada, a manutenção preventiva reduz desgastes, defeitos, falhas e demais problemas que podem ocorrer com as caldeiras, pois permite antecipar possíveis falhas, além de garantir o funcionamento do equipamento em seu máximo desempenho, sempre que for exigido.

Para essa manutenção vale contratar os serviços de uma empresa especializada na área e que tenha capacitação para seguir todas as recomendações da NR-13. Afinal é a reputação da sua empresa e principalmente a segurança dos seus colaboradores que estão em jogo.

2. Faça a correta e recorrente limpeza da sua caldeira

Com o passar do tempo, toda caldeira começa a apresentar desgastes naturais por conta dos processos de queima e produção de vapor, que podem originar processos corrosivos, acúmulo de detritos e incrustações. Essas ocorrências vão prejudicar o bom funcionamento do equipamento durante seu uso.

Por isso, além da manutenção preventiva de todos os componentes que já citamos, a correta limpeza das caldeiras é também essencial. Ao fazer a correta limpeza, depósitos excessivos de detritos serão retirados, otimizando a geração do vapor e elevando a vida útil da caldeira por muito mais tempo.

Essa limpeza deve ser periódica e realizada com escova de aço apropriada ou com o uso de equipamentos específicos (pneumáticos).  Estes limpam os tubos com maior rapidez e praticidade, necessitando de apenas uma pessoa para sua operação.

3. Priorize o treinamento de colaboradores

Um grande erro de gestores industriais é adquirir a melhor caldeira do mercado, mas ele se esquece de ter um profissional devidamente capacitado para operar esse equipamento. Por isso, priorizar o fator humano é outro ponto fundamental que merece atenção.

Esse treinamento deve ser o mais abrangente, consistente e prático possível. Deve também ser recorrente e formalmente aplicado.

A exigência do treinamento está inclusive disposta na NR-13 que, dentre muitas recomendações, exige que o operador tenha o certificado de Treinamento de Segurança na Operação de Caldeiras, que deve ser ministrado por profissionais devidamente capacitados.

4.Cuidados com a qualidade da água de alimentação da sua caldeira

 Dentre vários pontos que são considerados para bom funcionamento da sua caldeira, a qualidade de tratamento da água de alimentação é um dos mais importantes. Ao dar prioridade a esse ponto, certamente teremos maior longevidade, eficiência e segurança no uso diário da sua caldeira.

Dessa forma, antes de ser usada na indústria, a água que irá servir de alimentação da caldeira deve passar por um tratamento específico para não afetar os equipamentos por onde ela irá passar.

Para a sua caldeira, o tratamento de água tem como principais funções:

  • Evitar a formação de incrustações nas superfícies de contato da caldeira, de modo a preservar seus componentes;
  • Evitar a ocorrência de processos corrosivos (que aumentam o custo de manutenção e podem gerar ruptura nas estruturas) e;
  • Eliminar as ocorrências de arraste de origem química (como sílica e outros sólidos dissolvidos) e mecânica (gotas de água no vapor).

Neste contexto, vale lembrar que os padrões de qualidade e pureza da água na alimentação depende da atividade em que ele será utilizado, mas os principais parâmetros de controle no tratamento de água de caldeira estão relacionados aos sais dissolvidos presentes na água desmineralizada, como cálcio, magnésio e sódio.

5. Adquira sempre caldeiras de qualidade

Todos os cuidados citados anteriormente são fundamentais para que você mantenha o bom funcionamento da sua caldeira. Mas nenhuma dessas dicas adiantará se você errar na hora de adquirir a sua caldeira!

Por isso, é imprescindível que você adquira sua caldeira de uma empresa que ofereça qualidade, tecnologia e sofisticação aos produtos que ela comercializa. A SECAMAQ, por exemplo, busca a excelência na fabricação e desenvolvimento de suas caldeiras, consolidando-a como uma referência no mercado.

A SECAMAQ é reconhecida internacionalmente entre os líderes da indústria emergente em tecnologias de calor, com seus métodos e processos oferecendo inovação para as necessidades do mercado.

A empresa é formada por um staff com mais de 200 profissionais contratados diretamente, que ocupam mais de 13.000m² de planta industrial.

Gostou de conhecer os cuidados no uso de sua caldeira? Então continue acompanhando o nosso Blog e saiba muito mais!

Caldeira a biomassa: mais economia e salvando o planeta

Caldeira a biomassa: mais economia e salvando o planeta

A substituição de uma caldeira tradicional por uma caldeira a biomassa vem sendo uma necessidade cada vez mais recorrente em diversos processos industriais. A principal razão para essa substituição tem relação direta com a geração energética associada à redução do impacto ambiental.

Há outros benefícios tão importantes como esse que também são considerados para que a caldeira a biomassa seja escolhida. Tais benefícios englobam o aspecto inerente à indústria, via economia na geração energética, mas principalmente no aspecto macro, com grande capacidade em ajudar a salvar o planeta, devido à sustentabilidade por ela gerada.

Quer saber como esses benefícios da escolha de uma caldeira a biomassa podem ser alcançados a ponto dessa fonte energética ajudar a salvar o planeta? Então acompanhe nosso post de hoje.

A biomassa e a contenção do aquecimento global

Quando comparada à outras fontes energéticas, caso dos combustíveis fósseis, vemos que o uso de uma caldeira a biomassa apresenta importantes vantagens que certamente estimulam seu uso nas indústrias. Mas dentre todas as vantagens, a mais significativa é, sem dúvidas, a geração de uma energia mais limpa (renovável). Os números mostram isso.

e-book quais são os tipos de caldeiras a biomassa oferecidos pela SECAMAQ®, como escolher o tipo que mais se adequa às necessidades de cada indústria, além de suas principais funcionalidades na geração de energia.

Você sabia que se até 2050 as energias renováveis alcançarem uma participação superior a 50% na produção de energia primária do mundo, será possível conter o aquecimento global e “salvar o planeta”?

Esta é uma das conclusões apresentadas pelo Relatório Especial sobre Energias Renováveis e Mitigação de Mudanças do Clima (SRREN), divulgado no ano de 2012 pelo IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas).

O relatório destaca ainda que as fontes renováveis apresentam maior potencial e melhor custo para lidar com as mudanças climáticas. Isso porque as limitações técnicas sobre essa fonte energética, inclusive em uma caldeira a biomassa, já são mínimas, além disso não há escassez desta fonte energética no mundo.

Dessa forma, tudo indica que o uso da caldeira a biomassa na geração energética em processos industriais representará um importante fator que também contribuirá com a meta de “salvar o mundo”.

Caldeira a biomassa: mais economia para a indústria

Além de utilizar uma fonte energética renovável, a caldeira a biomassa apresenta uma significativa vantagem quanto ao seu custo, principalmente em um ambiente onde os combustíveis mais tradicionais estão se tornando escassos e seus preços estão cada vez mais elevados e inconstantes.

Hoje em dia, os custos desta forma de bioenergia já estão bem mais competitivos em diversas aplicações industriais e, com o avanço no desenvolvimento de modernas tecnologias, é possível que diminuam ainda mais, como dizem alguns números de estudos ao redor do planeta.

Segundo cálculo do EPRI (Instituto de Pesquisa de Energia Elétrica dos EUA), em 1990 o custo de produção de biomassa florestal girava em torno de US$ 25/t, mais foi reduzido para US$ 15/t 20 anos depois, hoje este custo é ainda mais reduzido.

Em razão do avanço tecnológico, a economia na geração energética pode ocorrer também com o uso de uma caldeira a biomassa em processos industriais, cuja economia pode ser bastante significativa quando comparado às caldeiras tradicionais, devido, principalmente ao melhor aproveitamento da biomassa, que vem apresentando maior poder calorifico.

Vale ressaltar, entretanto, que o grau de economia com o uso de combustíveis decorrentes da biomassa irá variar dependendo do sistema de geração energética e do plano de negócio definidos.

Além do benefício econômico do uso de uma caldeira a biomassa, há diversos benefícios ambientais e sociais que, por muitas vezes não entram nos cálculos econômicos, mas certamente estimulam ainda mais o uso da biomassa.

Esses benefícios têm relação com a redução da emissão de gases danosos ao efeito estufa e com a maior geração de empregos destinados à produção da biomassa.

A biomassa impulsiona o desenvolvimento de nações pobres

Ainda sobre o aspecto de “salvar o planeta”, a popularização da biomassa exerce papel fundamental ainda mais expressivo nos países emergentes, onde o Brasil está incluído, podendo criar empregos e contribuir com a redução da pobreza, que assola fortemente muitos destes países.

Os países desenvolvidos já olham para esta fonte de energia como uma importante oportunidade de negócio, principalmente em razão dos incentivos governamentais. A Dinamarca, por exemplo, planeja duplicar a utilização de biomassa para se tornar neutra em carbono até 2050.

Neste contexto, o Brasil já apresenta um pensamento semelhante aos países desenvolvidos quanto ao uso da biomassa, já que quase 10% da energia gerada no país é proveniente da biomassa. Porém, no contexto geral, as nações em desenvolvimento estão ficando para trás ao tratar da biomassa como uma energia que “ameaça as florestas”, o que, já sabemos, não é verdade.

Dessa forma, se as nações menos desenvolvidas gerirem suas florestas de forma mais eficaz, a biomassa poderá ser uma importante fonte renovável e sustentável de energia, podendo assim ajudar a “salvar o planeta”.

Porém, para que esse fato se concretize é preciso que estes países (inclusive o Brasil) estimulem fortemente o setor e que exista um planejamento de longo prazo sobre o uso desta fonte energética.

Estes estímulos passam pelo incentivo aos investimentos no uso da biomassa, além de inciativas capazes de fomentar a renovação e modernização das instalações ligadas à geração energética, caso dos incentivos ao maior uso da caldeira a biomassa.

Quer saber mais sobre as vantagens e funcionalidades da caldeira a biomassa? Então receba gratuitamente nosso e-book que trata exatamente sobre o tema.

Checklist para avaliar Caldeiras a Biomassa, para te guiar de maneira fácil e segura todo esse processo.

5 vantagens da caldeira flamotubular para sua empresa

5 vantagens da caldeira flamotubular para sua empresa

Você sabe o que é uma caldeira flamotubular? Ela é caracterizada por gerar vapor a partir de gases quentes que circulam pelo interior de tubos, tendo a água presente na parte externa destes.

Mas você sabia que a caldeira flamotubular é geralmente conhecida como um dos geradores de vapor mais utilizados e comuns em uma variedade bem grande de empresas que fazem uso do vapor em seus processos?

Na atualidade, praticamente todo tipo de empresa necessita da geração de vapor para a realização de uma variedade bem grande de processos e geralmente a caldeira é o gerador de vapor escolhido.

Tal escolha se dá em razão das suas principais vantagens, que inclusive já apresentamos de forma simplista neste texto. Mas, que tal aprofundar seu conhecimento sobre estas vantagens?

Então acompanhe as 5 principais vantagens que a adoção de uma boa caldeira flamotubular pode proporcionar para a sua empresa.

1- Apresenta baixo custo para aquisição e instalação

Quando comparada a outros tipos de caldeiras presentes no mercado, a caldeira flamotubular é caracterizada por apresentar custo relativamente mais baixo para a sua aquisição, implementação, uso e manutenção.

Vantagens da caldeira flamotubular para sua empresa

Este menor custo para a aquisição da caldeira flamotubular é decorrente da baixa necessidade de obras civis mais onerosas, já que há a necessidade de baixa alvenaria. Além disso, este tipo de caldeira pode ser adquirido como um pacote completo, necessitando apenas de fundações básicas, além de conexões padrão aos sistemas de água, eletricidade, combustível e vapor.

Além do mais, esta variedade de caldeira apresenta ótimo custo-benefício, já que seu investimento, peças e manutenção são mais acessíveis quando comparada com modelos mais complexos de caldeiras.

2- Pode aceitar grande variedade de combustíveis

Os tipos de caldeiras flamotubulares mais modernos possuem a capacidade de utilizar uma variedade bem grande de combustíveis, ou seja, podem fazer uso de combustíveis líquidos, gasosos e sólidos.

Essa vantagem se torna bastante significativa na atualidade em virtude da necessidade sustentável das empresas.

Isso porque, ao ter uma caldeira flamotubular mais moderna, a empresa poderá substituir os poluentes combustíveis fósseis, como gás natural e óleos, por combustíveis mais sustentáveis, caso da biomassa, (lenha, bagaço de cana de açúcar, cavaco de madeira, briquetes e pellets), sempre com a máxima eficiência energética.

Nesta conjuntura, a utilização da biomassa como combustível traz inúmeros benefícios para o meio ambiente, já que possibilita a redução dos custos com efluentes, além de promover o aumento da sustentabilidade do processo.

3- A caldeira flamotubular é de fácil manutenção

A caldeira, assim como qualquer outro gerador de vapor, é um equipamento complexo e exatamente por isso, há a necessidade de manutenções periódicas para que seu funcionamento se mantenha de forma constante e eficiente.

Neste contexto, caldeiras flamotubulares tem a tendência de receberem manutenção de forma muito mais fácil.

A caldeira flamotubular, por ser mais compacta (saindo de fábrica praticamente pronta), terá sua manutenção facilitada em virtude da menor necessidade de peças, inclusive a substituição de seus tubos pode ser realizada de forma muito simples.

Além disso, o projeto deste tipo de caldeira apresenta a vantagem de possuir seu interior bastante acessível tanto para a inspeção quanto para a para a limpeza, facilitando toda a manutenção.

4- Ideais para produção em pequena escala

As variedades mais comuns de caldeira flamotubular costumam ser utilizadas onde os projetos industriais têm a necessidade de pressão, temperatura e produção de vapor mais reduzidas.

Esse tipo de caldeira é caracterizado por promover uma produtividade mais otimizada, sempre com aquecimento controlado. Dessa forma, se torna ideal para pequenas empresas, que inclusive terão nessa caldeira soluções de aquecimento muito rentáveis.

As caldeiras flamotubulares mais modernas possuem ainda alta eficiência na queima quase que completa dos combustíveis (inclusive aqueles com maior teor de umidade) e materiais em suspensão, sempre com baixa emissão de material particulado.

Dessa forma, independentemente da variedade de combustível utilizado, a produção de vapor não é comprometida, sendo bastante eficiente a ponto de atender todas as expectativas dos usuários.

Devido a estas características, mesmo sendo mais compacta, a caldeira flamotubular é ideal para projetos que não necessitam de uma grande produção de vapor, não sendo preciso adquirir uma caldeira muito grande, pois esse seria um desperdício de espaço e principalmente de investimentos.

5- Atendem bem a aumentos instantâneos de demanda de vapor

A caldeira flamotubular, apesar de geralmente ser mais compacta, é caracterizada por ter a capacidade de atender muito bem a necessidade de aumentos instantâneos de vapor, que podem ocorrer em alguns processos industriais.

Tal vantagem se torna possível devido ao grande volume de água que utilizam, onde as caldeiras flamotubulares atendem as cargas flutuantes, possibilitando aumentos instantâneos na demanda de vapor, sempre com a segurança garantida.

Agora que você conhece as vantagens da caldeira, convidamos você a conhecer a Caldeira Flamotubular a Biomassa Full SECAMAQ

E-book modelo de caldeiras e aplicações da biomassa, baixe agora! | Secamaq

Produção de energia a partir de biomassa: um grande potencial brasileiro

Produção de energia a partir de biomassa: um grande potencial brasileiro

No Brasil, o aumento da produção de energia vem se tornando uma necessidade cada vez maior, mas as questões ligadas à sustentabilidade e à proteção ambiental também são importantes. Por isso, observa-se que a produção de energia limpa vem sendo quase que uma obrigação no país, onde fontes alternativas, como a biomassa, têm ganhado espaço no cenário energético.

Já são muitas as empresas brasileiras que estão investindo em ações sustentáveis para frear o aquecimento global, uma dessas ações é a adoção da caldeira a biomassa, que traz diversos benefícios, como aumento da produção, economia da conta de luz, descontos em impostos e ganho em sustentabilidade.

A biomassa apresenta todas as características necessárias para o futuro da produção de energia, portanto tende a se popularizar nos próximos anos.  Mas para isso é importante que conheçamos o real potencial da biomassa como combustível em processos industriais no país.

E-book Modelos de Caldeiras e Aplicações da Biomassa, baixe agora | Secamaq

Biomassa: Produção de energia eficiente e sustentável

O uso da biomassa como fonte de energia, é caracterizada pelo uso de restos de madeira, bagaço de cana, lenha, carvão vegetal, dejetos de animais e diversas outras fontes primárias de energia.

Estas fontes costumam ser, por muitas vezes, caracterizadas como resíduos de outras produções e por isso, além de gerar energia com eficiência podem trazer um ganho sustentável à atividade, devido ao melhor uso do resíduo.

Também vale considerar o ganho ambiental, pois a queima ocorrida na caldeira a biomassa é praticamente neutra na emissão de poluentes, onde o CO2 liberado é absorvido pelas plantas para seu crescimento.

Além disso, devido à sua importância e suas diversas vantagens, a biomassa vem sendo considerada a alternativa mais viável para a diversificação da matriz energética de diversos países, incluindo o Brasil, em substituição aos combustíveis fósseis, como petróleo e carvão, que são reconhecidamente não renováveis e poluentes.

Que tipos de biomassa costuma-se utilizar?

No país, boa parte das necessidades energéticas pode ser supridas pela biomassa e suas diversas formas com bastante eficiência. Dentre estas formas pode-se citar a lenha para queima de cerâmicas ou uso na caldeira a biomassa, carvão vegetal e combustível sustentável para fabricas de cimento no Nordeste.

O bagaço da cana também vem sendo bastante utilizado para geração de vapor para produção de energia elétrica, sendo usado principalmente nas usinas de açúcar e álcool, com seu excedente sendo encaminhado para a rede elétrica regional.

Também há diversos estudos destinados ao melhor uso da biomassa como fonte energética. Um exemplo são as pesquisas da Embrapa, que desenvolve estudos inéditos e de referência internacional para a produção de biocombustível sólido.

Também chamados de briquetes, esses materiais sólidos podem ser utilizados como substituto da lenha em fornos de restaurantes e caldeiras industriais.  Os briquetes são obtidos pela compactação de materiais como casca de arroz, bagaço de cana-de-açúcar, serragem e casca de amendoim e palha da carnaúba.

Por essas razões, comparado a outros países, o Brasil apresenta uma situação bastante privilegiada quando o assunto é a oferta e o uso da biomassa para a produção de energia. Como veremos a seguir.

Brasil: Potencial gigantesco para a biomassa

Atualmente, uma importante parte da energia consumida no Brasil já é proveniente de fontes renováveis, que tem na biomassa uma situação bastante privilegiada no que se refere a oferta de fontes primárias de energia.

Biomassa

Dados recentes do Boletim de Monitoramento do Sistema Elétrico, divulgados regularmente pelo Ministério de Minas e Energia, indicam que mais de 80% da geração energética brasileira já é renovável.

Desde montante, a matriz hidráulica permanece como a maior fonte geradora de energia, respondendo por quase 64% da energia produzida, mas em seguida já vemos a biomassa na segunda colocação dentre as energias renováveis, com participação de 9%.

Todo esse sucesso é decorrente das vantagens brasileiras para a produção de energia a partir da biomassa, onde são pequenos os problemas técnicos na mudança da matriz energética dos combustíveis fósseis para biomassa.

Primeiramente, a questão territorial pode ser levada em consideração, afinal a disponibilidade de terras no país é vista como fator decisório para o sucesso da exploração eficiente e sustentável da biomassa.

Também pode-se ressaltar o grande potencial do Brasil na produção agrícola. Nossa agricultura é uma das maiores do mundo, por isso é considera uma importante geradora de resíduos (cascas de cereais, resíduos resultantes da colheita mecanizada de trigo, milho, soja e outros) que são importantes formas de biomassa na produção de energia. Portanto, matéria-prima não faltará!

De fato, como vemos, a produção de energia a partir da biomassa pode representar uma vantagem fundamental do Brasil sobre o resto do mundo. Mas para acelerar o seu desenvolvimento, algumas medidas se fazem imprescindíveis.

Entre estas medidas, está a criação de políticas públicas mais favoráveis a esse tipo de energia, como acesso ao crédito, benefícios fiscais e novos leilões de energia, fatores que trarão estabilidade e favorecerão novos investimentos.

Caldeira a biomassa: aumento da eficiência e da sustentabilidade

Nos processos industriais, as caldeiras sempre foram as principais responsáveis pela geração e vapor para os processos subsequentes. Porém estas foram, por muito tempo, consideradas pouco eficientes, com poder calorifico muito baixo, necessitando de alto volume de combustível.

Mas, nos últimos anos o ganho tecnológico neste setor vem avançando na mesma proporção que o uso da biomassa. Assim, devido a esse expressivo avanço tecnológico, os diversos modelos de caldeiras a biomassa oferecidos pelas fábricas nacionais já permitem melhor capacidade de combustão aliada ao melhor aproveitamento da biomassa.

Neste contexto, a indústria brasileira é reconhecida por desenvolver produtos que possibilitam melhor aproveitamento desta fonte de combustível, mesmo com níveis de umidade mais elevados (sendo esse o maior problema histórico da biomassa na produção de energia).

A Secamaq, por exemplo, tem em seu portfólio de produtos modernas variedades de caldeiras que utilizam a biomassa como combustível principal. Em nosso portfólio, temos:

Caldeira Flamotubular Grelha Fixa – apresentam capacidade de 600 a 30.000 kgv/h, com uma pressão de até 30 kgf/cm², sendo destinadas a indústrias que precisam de menor geração de vapor.

Apresentam também, grelha em escada refrigerada e inclinada, obtendo perfis fluído dinâmicos que garantem maior transferência de calor com consequente maior eficiência da caldeira.

Caldeira Flamotubular Grelha Móvel – apresentam capacidade é um pouco maior que o modelo anterior, girando entre 3.000 a 30.000 kgv/h em uma pressão de operação de até 30 kgf/cm².

Esta caldeira apresenta um sistema de combustão do tipo grelha avanço contínuo, que é próprio para a queima da biomassa picada. Além disso, dispõe de sistemas que promovem uma completa queima de sólidos e gases suspensos, garantindo maior eficiência ao processo.

Caldeira Aquatubular – Apresentam capacidade que varia entre 10.000 a 100.000 kgv/h em uma pressão de operação de até 80 kgf/cm², sendo projetadas para clientes que necessitam de maior produção e pressão de vapor, sempre associadas ao alto rendimento.

O potencial e as perspectivas brasileiras para a biomassa na produção de energia são bastante elevados, temos a disposição muita matéria-prima e equipamentos geradores de calor com alta tecnologia e eficiência. Portanto, cabe a nós melhorar nossa capacidade de gestão para superar os desafios do setor.

Quer saber mais sobre as caldeiras oferecidas pela Semacaq? Então baixe agora mesmo nosso e-book sobre o tema.

Conheça nossos produtos, baixe agora nosso catálogo | Secamaq