Caldeira a biomassa: mais economia e salvando o planeta

Caldeira a biomassa: mais economia e salvando o planeta

A substituição de uma caldeira tradicional por uma caldeira a biomassa vem sendo uma necessidade cada vez mais recorrente em diversos processos industriais. A principal razão para essa substituição tem relação direta com a geração energética associada à redução do impacto ambiental.

Há outros benefícios tão importantes como esse que também são considerados para que a caldeira a biomassa seja escolhida. Tais benefícios englobam o aspecto inerente à indústria, via economia na geração energética, mas principalmente no aspecto macro, com grande capacidade em ajudar a salvar o planeta, devido à sustentabilidade por ela gerada.

Quer saber como esses benefícios da escolha de uma caldeira a biomassa podem ser alcançados a ponto dessa fonte energética ajudar a salvar o planeta? Então acompanhe nosso post de hoje.

A biomassa e a contenção do aquecimento global

Quando comparada à outras fontes energéticas, caso dos combustíveis fósseis, vemos que o uso de uma caldeira a biomassa apresenta importantes vantagens que certamente estimulam seu uso nas indústrias. Mas dentre todas as vantagens, a mais significativa é, sem dúvidas, a geração de uma energia mais limpa (renovável). Os números mostram isso.

e-book quais são os tipos de caldeiras a biomassa oferecidos pela SECAMAQ®, como escolher o tipo que mais se adequa às necessidades de cada indústria, além de suas principais funcionalidades na geração de energia.

Você sabia que se até 2050 as energias renováveis alcançarem uma participação superior a 50% na produção de energia primária do mundo, será possível conter o aquecimento global e “salvar o planeta”?

Esta é uma das conclusões apresentadas pelo Relatório Especial sobre Energias Renováveis e Mitigação de Mudanças do Clima (SRREN), divulgado no ano de 2012 pelo IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas).

O relatório destaca ainda que as fontes renováveis apresentam maior potencial e melhor custo para lidar com as mudanças climáticas. Isso porque as limitações técnicas sobre essa fonte energética, inclusive em uma caldeira a biomassa, já são mínimas, além disso não há escassez desta fonte energética no mundo.

Dessa forma, tudo indica que o uso da caldeira a biomassa na geração energética em processos industriais representará um importante fator que também contribuirá com a meta de “salvar o mundo”.

Caldeira a biomassa: mais economia para a indústria

Além de utilizar uma fonte energética renovável, a caldeira a biomassa apresenta uma significativa vantagem quanto ao seu custo, principalmente em um ambiente onde os combustíveis mais tradicionais estão se tornando escassos e seus preços estão cada vez mais elevados e inconstantes.

Hoje em dia, os custos desta forma de bioenergia já estão bem mais competitivos em diversas aplicações industriais e, com o avanço no desenvolvimento de modernas tecnologias, é possível que diminuam ainda mais, como dizem alguns números de estudos ao redor do planeta.

Segundo cálculo do EPRI (Instituto de Pesquisa de Energia Elétrica dos EUA), em 1990 o custo de produção de biomassa florestal girava em torno de US$ 25/t, mais foi reduzido para US$ 15/t 20 anos depois, hoje este custo é ainda mais reduzido.

Em razão do avanço tecnológico, a economia na geração energética pode ocorrer também com o uso de uma caldeira a biomassa em processos industriais, cuja economia pode ser bastante significativa quando comparado às caldeiras tradicionais, devido, principalmente ao melhor aproveitamento da biomassa, que vem apresentando maior poder calorifico.

Vale ressaltar, entretanto, que o grau de economia com o uso de combustíveis decorrentes da biomassa irá variar dependendo do sistema de geração energética e do plano de negócio definidos.

Além do benefício econômico do uso de uma caldeira a biomassa, há diversos benefícios ambientais e sociais que, por muitas vezes não entram nos cálculos econômicos, mas certamente estimulam ainda mais o uso da biomassa.

Esses benefícios têm relação com a redução da emissão de gases danosos ao efeito estufa e com a maior geração de empregos destinados à produção da biomassa.

A biomassa impulsiona o desenvolvimento de nações pobres

Ainda sobre o aspecto de “salvar o planeta”, a popularização da biomassa exerce papel fundamental ainda mais expressivo nos países emergentes, onde o Brasil está incluído, podendo criar empregos e contribuir com a redução da pobreza, que assola fortemente muitos destes países.

Os países desenvolvidos já olham para esta fonte de energia como uma importante oportunidade de negócio, principalmente em razão dos incentivos governamentais. A Dinamarca, por exemplo, planeja duplicar a utilização de biomassa para se tornar neutra em carbono até 2050.

Neste contexto, o Brasil já apresenta um pensamento semelhante aos países desenvolvidos quanto ao uso da biomassa, já que quase 10% da energia gerada no país é proveniente da biomassa. Porém, no contexto geral, as nações em desenvolvimento estão ficando para trás ao tratar da biomassa como uma energia que “ameaça as florestas”, o que, já sabemos, não é verdade.

Dessa forma, se as nações menos desenvolvidas gerirem suas florestas de forma mais eficaz, a biomassa poderá ser uma importante fonte renovável e sustentável de energia, podendo assim ajudar a “salvar o planeta”.

Porém, para que esse fato se concretize é preciso que estes países (inclusive o Brasil) estimulem fortemente o setor e que exista um planejamento de longo prazo sobre o uso desta fonte energética.

Estes estímulos passam pelo incentivo aos investimentos no uso da biomassa, além de inciativas capazes de fomentar a renovação e modernização das instalações ligadas à geração energética, caso dos incentivos ao maior uso da caldeira a biomassa.

Quer saber mais sobre as vantagens e funcionalidades da caldeira a biomassa? Então receba gratuitamente nosso e-book que trata exatamente sobre o tema.

Checklist para avaliar Caldeiras a Biomassa, para te guiar de maneira fácil e segura todo esse processo.

5 vantagens da caldeira flamotubular para sua empresa

5 vantagens da caldeira flamotubular para sua empresa

Você sabe o que é uma caldeira flamotubular? Ela é caracterizada por gerar vapor a partir de gases quentes que circulam pelo interior de tubos, tendo a água presente na parte externa destes.

Mas você sabia que a caldeira flamotubular é geralmente conhecida como um dos geradores de vapor mais utilizados e comuns em uma variedade bem grande de empresas que fazem uso do vapor em seus processos?

Na atualidade, praticamente todo tipo de empresa necessita da geração de vapor para a realização de uma variedade bem grande de processos e geralmente a caldeira é o gerador de vapor escolhido.

Tal escolha se dá em razão das suas principais vantagens, que inclusive já apresentamos de forma simplista neste texto. Mas, que tal aprofundar seu conhecimento sobre estas vantagens?

Então acompanhe as 5 principais vantagens que a adoção de uma boa caldeira flamotubular pode proporcionar para a sua empresa.

1- Apresenta baixo custo para aquisição e instalação

Quando comparada a outros tipos de caldeiras presentes no mercado, a caldeira flamotubular é caracterizada por apresentar custo relativamente mais baixo para a sua aquisição, implementação, uso e manutenção.

Vantagens da caldeira flamotubular para sua empresa

Este menor custo para a aquisição da caldeira flamotubular é decorrente da baixa necessidade de obras civis mais onerosas, já que há a necessidade de baixa alvenaria. Além disso, este tipo de caldeira pode ser adquirido como um pacote completo, necessitando apenas de fundações básicas, além de conexões padrão aos sistemas de água, eletricidade, combustível e vapor.

Além do mais, esta variedade de caldeira apresenta ótimo custo-benefício, já que seu investimento, peças e manutenção são mais acessíveis quando comparada com modelos mais complexos de caldeiras.

2- Pode aceitar grande variedade de combustíveis

Os tipos de caldeiras flamotubulares mais modernos possuem a capacidade de utilizar uma variedade bem grande de combustíveis, ou seja, podem fazer uso de combustíveis líquidos, gasosos e sólidos.

Essa vantagem se torna bastante significativa na atualidade em virtude da necessidade sustentável das empresas.

Isso porque, ao ter uma caldeira flamotubular mais moderna, a empresa poderá substituir os poluentes combustíveis fósseis, como gás natural e óleos, por combustíveis mais sustentáveis, caso da biomassa, (lenha, bagaço de cana de açúcar, cavaco de madeira, briquetes e pellets), sempre com a máxima eficiência energética.

Nesta conjuntura, a utilização da biomassa como combustível traz inúmeros benefícios para o meio ambiente, já que possibilita a redução dos custos com efluentes, além de promover o aumento da sustentabilidade do processo.

3- A caldeira flamotubular é de fácil manutenção

A caldeira, assim como qualquer outro gerador de vapor, é um equipamento complexo e exatamente por isso, há a necessidade de manutenções periódicas para que seu funcionamento se mantenha de forma constante e eficiente.

Neste contexto, caldeiras flamotubulares tem a tendência de receberem manutenção de forma muito mais fácil.

A caldeira flamotubular, por ser mais compacta (saindo de fábrica praticamente pronta), terá sua manutenção facilitada em virtude da menor necessidade de peças, inclusive a substituição de seus tubos pode ser realizada de forma muito simples.

Além disso, o projeto deste tipo de caldeira apresenta a vantagem de possuir seu interior bastante acessível tanto para a inspeção quanto para a para a limpeza, facilitando toda a manutenção.

4- Ideais para produção em pequena escala

As variedades mais comuns de caldeira flamotubular costumam ser utilizadas onde os projetos industriais têm a necessidade de pressão, temperatura e produção de vapor mais reduzidas.

Esse tipo de caldeira é caracterizado por promover uma produtividade mais otimizada, sempre com aquecimento controlado. Dessa forma, se torna ideal para pequenas empresas, que inclusive terão nessa caldeira soluções de aquecimento muito rentáveis.

As caldeiras flamotubulares mais modernas possuem ainda alta eficiência na queima quase que completa dos combustíveis (inclusive aqueles com maior teor de umidade) e materiais em suspensão, sempre com baixa emissão de material particulado.

Dessa forma, independentemente da variedade de combustível utilizado, a produção de vapor não é comprometida, sendo bastante eficiente a ponto de atender todas as expectativas dos usuários.

Devido a estas características, mesmo sendo mais compacta, a caldeira flamotubular é ideal para projetos que não necessitam de uma grande produção de vapor, não sendo preciso adquirir uma caldeira muito grande, pois esse seria um desperdício de espaço e principalmente de investimentos.

5- Atendem bem a aumentos instantâneos de demanda de vapor

A caldeira flamotubular, apesar de geralmente ser mais compacta, é caracterizada por ter a capacidade de atender muito bem a necessidade de aumentos instantâneos de vapor, que podem ocorrer em alguns processos industriais.

Tal vantagem se torna possível devido ao grande volume de água que utilizam, onde as caldeiras flamotubulares atendem as cargas flutuantes, possibilitando aumentos instantâneos na demanda de vapor, sempre com a segurança garantida.

Agora que você conhece as vantagens da caldeira, convidamos você a conhecer a Caldeira Flamotubular a Biomassa Full SECAMAQ

E-book modelo de caldeiras e aplicações da biomassa, baixe agora! | Secamaq

Produção de energia a partir de biomassa: um grande potencial brasileiro

Produção de energia a partir de biomassa: um grande potencial brasileiro

No Brasil, o aumento da produção de energia vem se tornando uma necessidade cada vez maior, mas as questões ligadas à sustentabilidade e à proteção ambiental também são importantes. Por isso, observa-se que a produção de energia limpa vem sendo quase que uma obrigação no país, onde fontes alternativas, como a biomassa, têm ganhado espaço no cenário energético.

Já são muitas as empresas brasileiras que estão investindo em ações sustentáveis para frear o aquecimento global, uma dessas ações é a adoção da caldeira a biomassa, que traz diversos benefícios, como aumento da produção, economia da conta de luz, descontos em impostos e ganho em sustentabilidade.

A biomassa apresenta todas as características necessárias para o futuro da produção de energia, portanto tende a se popularizar nos próximos anos.  Mas para isso é importante que conheçamos o real potencial da biomassa como combustível em processos industriais no país.

E-book Modelos de Caldeiras e Aplicações da Biomassa, baixe agora | Secamaq

Biomassa: Produção de energia eficiente e sustentável

O uso da biomassa como fonte de energia, é caracterizada pelo uso de restos de madeira, bagaço de cana, lenha, carvão vegetal, dejetos de animais e diversas outras fontes primárias de energia.

Estas fontes costumam ser, por muitas vezes, caracterizadas como resíduos de outras produções e por isso, além de gerar energia com eficiência podem trazer um ganho sustentável à atividade, devido ao melhor uso do resíduo.

Também vale considerar o ganho ambiental, pois a queima ocorrida na caldeira a biomassa é praticamente neutra na emissão de poluentes, onde o CO2 liberado é absorvido pelas plantas para seu crescimento.

Além disso, devido à sua importância e suas diversas vantagens, a biomassa vem sendo considerada a alternativa mais viável para a diversificação da matriz energética de diversos países, incluindo o Brasil, em substituição aos combustíveis fósseis, como petróleo e carvão, que são reconhecidamente não renováveis e poluentes.

Que tipos de biomassa costuma-se utilizar?

No país, boa parte das necessidades energéticas pode ser supridas pela biomassa e suas diversas formas com bastante eficiência. Dentre estas formas pode-se citar a lenha para queima de cerâmicas ou uso na caldeira a biomassa, carvão vegetal e combustível sustentável para fabricas de cimento no Nordeste.

O bagaço da cana também vem sendo bastante utilizado para geração de vapor para produção de energia elétrica, sendo usado principalmente nas usinas de açúcar e álcool, com seu excedente sendo encaminhado para a rede elétrica regional.

Também há diversos estudos destinados ao melhor uso da biomassa como fonte energética. Um exemplo são as pesquisas da Embrapa, que desenvolve estudos inéditos e de referência internacional para a produção de biocombustível sólido.

Também chamados de briquetes, esses materiais sólidos podem ser utilizados como substituto da lenha em fornos de restaurantes e caldeiras industriais.  Os briquetes são obtidos pela compactação de materiais como casca de arroz, bagaço de cana-de-açúcar, serragem e casca de amendoim e palha da carnaúba.

Por essas razões, comparado a outros países, o Brasil apresenta uma situação bastante privilegiada quando o assunto é a oferta e o uso da biomassa para a produção de energia. Como veremos a seguir.

Brasil: Potencial gigantesco para a biomassa

Atualmente, uma importante parte da energia consumida no Brasil já é proveniente de fontes renováveis, que tem na biomassa uma situação bastante privilegiada no que se refere a oferta de fontes primárias de energia.

Biomassa

Dados recentes do Boletim de Monitoramento do Sistema Elétrico, divulgados regularmente pelo Ministério de Minas e Energia, indicam que mais de 80% da geração energética brasileira já é renovável.

Desde montante, a matriz hidráulica permanece como a maior fonte geradora de energia, respondendo por quase 64% da energia produzida, mas em seguida já vemos a biomassa na segunda colocação dentre as energias renováveis, com participação de 9%.

Todo esse sucesso é decorrente das vantagens brasileiras para a produção de energia a partir da biomassa, onde são pequenos os problemas técnicos na mudança da matriz energética dos combustíveis fósseis para biomassa.

Primeiramente, a questão territorial pode ser levada em consideração, afinal a disponibilidade de terras no país é vista como fator decisório para o sucesso da exploração eficiente e sustentável da biomassa.

Também pode-se ressaltar o grande potencial do Brasil na produção agrícola. Nossa agricultura é uma das maiores do mundo, por isso é considera uma importante geradora de resíduos (cascas de cereais, resíduos resultantes da colheita mecanizada de trigo, milho, soja e outros) que são importantes formas de biomassa na produção de energia. Portanto, matéria-prima não faltará!

De fato, como vemos, a produção de energia a partir da biomassa pode representar uma vantagem fundamental do Brasil sobre o resto do mundo. Mas para acelerar o seu desenvolvimento, algumas medidas se fazem imprescindíveis.

Entre estas medidas, está a criação de políticas públicas mais favoráveis a esse tipo de energia, como acesso ao crédito, benefícios fiscais e novos leilões de energia, fatores que trarão estabilidade e favorecerão novos investimentos.

Caldeira a biomassa: aumento da eficiência e da sustentabilidade

Nos processos industriais, as caldeiras sempre foram as principais responsáveis pela geração e vapor para os processos subsequentes. Porém estas foram, por muito tempo, consideradas pouco eficientes, com poder calorifico muito baixo, necessitando de alto volume de combustível.

Mas, nos últimos anos o ganho tecnológico neste setor vem avançando na mesma proporção que o uso da biomassa. Assim, devido a esse expressivo avanço tecnológico, os diversos modelos de caldeiras a biomassa oferecidos pelas fábricas nacionais já permitem melhor capacidade de combustão aliada ao melhor aproveitamento da biomassa.

Neste contexto, a indústria brasileira é reconhecida por desenvolver produtos que possibilitam melhor aproveitamento desta fonte de combustível, mesmo com níveis de umidade mais elevados (sendo esse o maior problema histórico da biomassa na produção de energia).

A Secamaq, por exemplo, tem em seu portfólio de produtos modernas variedades de caldeiras que utilizam a biomassa como combustível principal. Em nosso portfólio, temos:

Caldeira Flamotubular Grelha Fixa – apresentam capacidade de 600 a 30.000 kgv/h, com uma pressão de até 30 kgf/cm², sendo destinadas a indústrias que precisam de menor geração de vapor.

Apresentam também, grelha em escada refrigerada e inclinada, obtendo perfis fluído dinâmicos que garantem maior transferência de calor com consequente maior eficiência da caldeira.

Caldeira Flamotubular Grelha Móvel – apresentam capacidade é um pouco maior que o modelo anterior, girando entre 3.000 a 30.000 kgv/h em uma pressão de operação de até 30 kgf/cm².

Esta caldeira apresenta um sistema de combustão do tipo grelha avanço contínuo, que é próprio para a queima da biomassa picada. Além disso, dispõe de sistemas que promovem uma completa queima de sólidos e gases suspensos, garantindo maior eficiência ao processo.

Caldeira Aquatubular – Apresentam capacidade que varia entre 10.000 a 100.000 kgv/h em uma pressão de operação de até 80 kgf/cm², sendo projetadas para clientes que necessitam de maior produção e pressão de vapor, sempre associadas ao alto rendimento.

O potencial e as perspectivas brasileiras para a biomassa na produção de energia são bastante elevados, temos a disposição muita matéria-prima e equipamentos geradores de calor com alta tecnologia e eficiência. Portanto, cabe a nós melhorar nossa capacidade de gestão para superar os desafios do setor.

Quer saber mais sobre as caldeiras oferecidas pela Semacaq? Então baixe agora mesmo nosso e-book sobre o tema.

Conheça nossos produtos, baixe agora nosso catálogo | Secamaq

10 cuidados para manter sua caldeira em dia

10 cuidados para manter sua caldeira em dia

Toda caldeira costuma representar um alto investimento para empresas, sendo projetadas para criar uma incrível quantidade de calor e vapor de água quente de forma quase que ininterrupta.

Assim, qualquer problema quanto ao correto funcionamento da caldeira, pode afetar o andamento do processo industrial que, invariavelmente, pode representar perda financeira.

Estes problemas associados ao mal funcionamento de caldeiras costumam ser bastante variados, mas estão ligados principalmente à falta manutenção e à operação incorreta do equipamento.

Conheça então os 10 cuidados mais importantes para que você consiga manter a sua caldeira sempre em dia.

  1. Evite condições de baixa água

Toda caldeira precisa de água para funcionar, assim o potencial de danos severos a uma caldeira como resultado de condições de pouca água é fácil de se imaginar, além disso, caldeiras são equipamentos que funcionam sempre sob alta temperatura.

Neste contexto, algumas das causas mais comuns de condições de baixa água são:

  • Falha na bomba de água de alimentação e na válvula de controle;
  • Perda de água para o sistema de água de compensação;
  • Falha no controlador de nível de bateria;
  • Controlador de nível de bateria deixado inadvertidamente na posição “manual”;
  • Perda de pressão do ar da instalação para controlar o atuador da válvula;
  • Levantamento de válvula de segurança

Devido à essa necessidade por água, as caldeiras mais modernas são equipadas com interruptores automáticos de queda de água, entretanto, algumas caldeiras mais antigas podem não ter esses dispositivos. Se esse é o caso da sua caldeira, não perca tempo e inicie prontamente a instalação.

Conheça nosso catálogo de acessórios para caldeiras, baixe grátis! | Secamaq

Em razão do alto perigo, as condições da água devem ser monitoradas constantemente e abordadas por meio de manutenção de rotina, garantindo a eficiência operacional e a segurança do equipamento.

  1. Mantenha a concentração de sólidos da água dentro de limites

A presença excessiva de sólidos em suspensão e sílica são responsáveis por causar sérios danos à caldeira, como incrustações, diminuição na qualidade da troca térmica e aumento do consumo de combustível.

Dessa forma, a concentração de sólidos indesejáveis ​​em uma caldeira deve ser reduzida por meio do tratamento adequado da água de alimentação e da operação apropriada de um sistema de purga contínua, além da realização da purga intermitente em uma base regular.

O objetivo principal dos purgadores é manter a concentração de sólidos da água da caldeira dentro de certos limites aceitáveis. A taxa de descarga pode ser determinada por vários fatores que incluem sólidos dissolvidos, sólidos suspensos, sílica e alcalinidade.

Vale ressaltar que a medida que a pressão de operação aumenta, os limites tornam-se mais rigorosos. Isso pode potencialmente exigir uma taxa de descarga extremamente alta se o amolecimento do zeólito sódico for o método de tratamento de água de alimentação.

Para diminuir a taxa de descarga e controlar a concentração de sílica, um sistema de tratamento de água desmineralizada total pode ser a medida utilizada já que remove os ânions e os cátions em vez de substituí-los por outros íons.

  1. Priorize o tratamento da água

Um ponto importante de controle na operação de uma caldeira, com foco na sua longevidade, eficiência e segurança, é a qualidade da água de alimentação e a qualidade da água utilizada na caldeira.

A água de alimentação da caldeira é tratada para protegê-la principalmente contra dois problemas básicos: o acúmulo de depósitos sólidos e a corrosão.

Quanto ao acúmulo de depósitos sólidos nos tubos, a melhor forma de evita-los na água de alimentação da caldeira é reduzi-los a limites aceitáveis, onde quanto maior a pressão de operação e a temperatura da caldeira, mais rigorosos são os requisitos para o tratamento adequado da água de alimentação.

Já o método mais eficaz de controle da corrosão dentro da caldeira é a desaeração adequada da água, ou seja, remoção de oxigênio da água, visto que essa remoção reduz drasticamente o potencial de corrosão.

Essa remoção é geralmente realizada com o uso de desaeradores. Essas unidades normalmente utilizam vapor para pré-aquecer a água de alimentação e remover o oxigênio, o dióxido de carbono e outros gases da água de reposição.

Os produtos químicos de eliminação de oxigênio também são comumente injetados no sistema para fornecer uma medida adicional de proteção. Além disso, o tambor de vapor da caldeira geralmente fornece produtos químicos de forma controlada para proteção ainda maior.

Assim, que você quer manter sua caldeira em dia, tenha um cuidado especial com a qualidade da água utilizada.

  1. Evite o aquecimento indevido

O aquecimento inadequado de uma caldeira costuma ser um problema comum, principalmente em razão da maior necessidade por vapor em processos industriais. Dessa forma, se a caldeira for “capaz” de produzir mais vapor, a empresa vai querer produzi-lo, independente dos problemas associados.

O aquecimento inadequado de uma caldeira de vapor é uma das dificuldades a serem suportadas pela caldeira. Passar pelo ciclo de inicialização, operação e desligamento de qualquer caldeira gera tensões mais altas no equipamento e, consequentemente, muito mais problemas de tipo de manutenção do que a operação contínua na capacidade nominal máxima.

Um bom design aliado a uma transição lenta entre essas condições são essenciais para prolongar a vida útil da caldeira e reduzir a possibilidade de falha. Além disso, um bom planejamento e uso correto permitirão que a caldeira seja iniciada adequadamente, prolongando sua vida útil e eliminando reparos dispendiosos de manutenção.

  1. Realize o Teste de Intertravamento

A caldeira queima combustível, gerando calor e energia, mas esse processo deve ser controlado para que a combustão ocorra onde queremos que ocorra! Por isso, este equipamento é composto por uma série de válvulas, tubulações, fios e interruptores que são incumbidos em realizar este controle.

Todos esses dispositivos de segurança estão interligados a um controlador de segurança representado por um sistema de gerenciamento de queimadores. Este é considerado o “cérebro” responsável por supervisionar e sequenciar todos os esforços de desligamento, incluindo o tempo e a adequação da purga antes do desligamento e os intervalos de tempo permitidos para acender os pilotos e as chamas principais.

Esse sistema atua como se fosse uma sentinela de segurança, monitorando todos os interruptores e condições de segurança enquanto espera para direcionar as válvulas de combustível para fechar em caso de algum problema.

Portanto, você deve manter os sistemas de segurança e eficiência da sua caldeira sempre em dia.

  1. Priorize treinamentos constantes

Sem dúvidas, o treinamento de operadores é um importante processo que você deve priorizar. Entretanto, os códigos nacionais e internacionais costumam oferecer muito pouca orientação específica em relação às formas de treinamento, costumam dizer que “o treinamento é absolutamente necessário e que deve ser feito regularmente…”.

Mas independente das normas, é importante que o treinamento do operador seja abrangente, consistente, prático e formalmente aplicado. Hoje não podemos mais confiar na suposição de que habilidades e conhecimentos de operadores veteranos foram repassados aos mais novos.

Se o treinamento for realizado de forma indevida, sua instalação pode arcar com o risco de “aprender” da maneira mais difícil, e você não quer isso, certo?

  1. Faça manutenção Preventiva com eficiência

Um programa abrangente de manutenção preventiva em sua caldeira é, juntamente com o treinamento de qualidade, a sua maior defesa contra acidentes.

Checklist de manutenção preventiva de caldeiras, baixe agora! | Secamaq

Se não receber a manutenção adequada, o equipamento de combustão pode se tornar menos seguro a cada minuto de operação. Diversos são os problemas operacionais ou de manutenção que podem causar sérios danos a sua caldeira e à segurança da sua empresa, tais como:

  • Poeira, sujeira e detritos que se acumulam nos ventiladores e queimadores de ar de combustão, alterando as relações ar/combustível;
  • Válvulas de controle de gás que se desgastam cada vez que são acionadas;
  • Diafragmas e contatos do pressostato que se tornam mais sensíveis à idade;
  • Controles de nível de água que acumulam lodo.

A solução para estes problemas é a realização da manutenção preventiva. Entretanto, não permita que seu pessoal tente ajustar queimadores, trocar as válvulas de controle de taxa de disparo ou substituir os sistemas de gerenciamento de queimadores, a menos que tenham sido devidamente treinados para tal.

Caso sua equipe não seja capacitada, você deve buscar auxilio de empresas na manutenção da sua caldeira, mas sempre busque auxilio de empresas especializadas e com pessoal altamente capacitado. Afinal, é a reputação da sua empresa que está sendo colocada em jogo!

  1. Você tem toda a documentação necessária da sua caldeira?

Além da manutenção de excelência no seu equipamento, outro problema que você deve monitorar de perto é a sua documentação. Tais documentos apresentam todos os desenhos de painel, pontos de ajuste de interruptor, tempos de purga e até mesmo números de modelo de componente e manuais operacionais.

Muitos incidentes ocorreram devido à solução incorreta de problemas porque as informações necessárias não estavam prontamente disponíveis, ou seja, a documentação não foi encontrada.

A documentação adequada pode significar a diferença entre uma operação eficiente e desastre potencial. Por isso, vale a pena auditar os materiais relacionados a procedimentos, conformidade e equipamentos que devem ser mantidos em um local conhecido para facilitar o acesso quando necessário.

Seja precavido, não espere o problema ocorrer para somente depois juntar os documentos. Por isso, faça uma análise de lacunas proativamente e tenha um plano de longo prazo compatível com os códigos mais recentes.

  1. Cuidado com o equipamento antigo!

Os inspetores jurisdicionais muitas vezes têm as mãos atadas quando se trata daquilo que podem pedir a alguém para fazer, isso porque o que eles estão inspecionando é frequentemente limitado exatamente o que está previsto na lei.

Por exemplo, em muitos casos, eles avaliam o equipamento com base em sua conformidade com o código para quando ele foi instalado, lembrando que essa conformidade com código não é retroativa. E, muitas caldeiras já podem ser relativamente defasadas quando comparadas à equipamentos mais modernos.

Os códigos geralmente mudam em ciclos de três anos, mas a conformidade com novas versões é opcional. A diferença entre o que está instalado e o código atual é chamado de lacuna. A realização de análise de lacunas no equipamento, à medida que é instalado, pode fornecer um roteiro para obter a corrente e maximizar a segurança.

Portanto, se você tem um equipamento antigo, tenha ainda mais cuidado com a qualidade e eficiência da sua manutenção.

Você pode também ponderar a possibilidade em adquirir uma caldeira nova e moderna, além de adquirir os acessórios mais eficientes em todos seus aspectos. Dessa forma, aproveite e conheça a linha de acessórios da Secamaq.

  1.  Esteja preparado ao inesperado fator humano

Assim que sua caldeira está devidamente instalada e funcionando corretamente, fica a pergunta: Quem está apto e qualificado para operar e manter o equipamento?

Essa questão é fundamental, isso porque estatísticas relacionadas à incidentes e acidentes em caldeiras mostram que quase 40% de todas falhas e acidentes são causados ​​por erro humano ou má manutenção, ou seja, pela ação humana. Daí a importância do fator humano na qualidade de operação da sua caldeira.

Para isso, faça uma “análise das lacunas humanas” (assim como é feito com a lacuna dos códigos), capaz de identificar o estado de conhecimento e habilidades em relação à equipe de operações e manutenção.

Faça do treinamento do(s) operador(es) um esforço regular e sério. Seja proativo. Dê os passos certos com antecedência e equipe sua fábrica e seus funcionários com o melhor que você pode oferecer, como treinamento, conhecimento e ferramentas de que precisam para realizar seus trabalhos com segurança.

Você quer saber se sua caldeira está em dia? Então baixe o checklist Secamaq de manutenção de caldeiras agora mesmo!

E-book de modelos de caldeiras e aplicações da biomassa, baixe agora! | Secamaq

Caldeira a vapor: história e evolução das caldeiras

Caldeira a vapor: história e evolução das caldeiras

Toda caldeira a vapor é representada por um recipiente cuja função central é produzir vapor através do aquecimento da água. Esse processo é realizado por meio de uma troca térmica entre o material combustível e a água, que será transformada em vapor (estado gasoso).

Hoje em dia, temos modelos de caldeira a vapor bastante compactos, estando presentes em diversos processos industriais, comerciais e até residenciais. Porém, a história da caldeira é de longa data, sendo criada séculos atrás.

Você quer saber como surgiu a caldeira? Então veja neste texto como foi o surgimento da caldeira a vapor, sua história e sua evolução até as caldeiras a biomassa como qual conhecemos hoje.

Primeira “Caldeira a vapor”: Eolípila!

A caldeira a vapor foi criada no final do século 17 e início do século 18. Mas você sabia que a “primeira máquina a vapor” que a humanidade tem ciência é um aparelho conhecido como eolípila?

E-book de modelos de caldeiras e aplicações da biomassa | Secamaq

Também chamada de “bola de vento”, este aparelho foi desenvolvido no século I pelo matemático e engenheiro grego Heron de Alexandria. A eolípila consistia basicamente por uma câmara (esférica ou cilíndrica) com tubos curvados, por onde o vapor era expelido.

A força resultante fazia com que o aparelho girasse.  Normalmente, a água era aquecida numa bacia ligada à câmara giratória por um par de tubos que também serviam como eixo para a câmara.

Porém, durante muito tempo a eolípila não foi cientificamente estudada, servindo só de brinquedo ou entretenimento, mas pode-se dizer que o conceito nela apresentado é um embrião das caldeiras a vapor hoje utilizadas.

Caldeira a vapor: Utilizada para substituir o carvão

As raízes contemporâneas da caldeira a vapor remontam ao final dos anos 1700 e início de 1800, com o desenvolvimento da caldeira tipo chaleira. Esta caldeira simplesmente transformava a água em vapor, onde a água era colocada acima de uma caixa de fogo e depois fervida em vapor.

Mas foi mais precisamente em 1867, com o desenvolvimento da caldeira de convecção, que a indústria de geração de vapor começou. Ela surgiu prioritariamente pela necessidade de substituir o carvão na geração energética dentro das indústrias.

Nesta época, o carvão era a principal fonte geradora de calor nos processos industriais. Entretanto, muitos eram os inconvenientes gerados pela combustão local de carvão destinado à geração de calor.

Assim, as primeiras caldeiras foram desenvolvidas para resolver esses inconvenientes. Nelas, a energia era captada em uma única unidade central (a caldeira a vapor), sendo distribuída posteriormente para os maquinários necessários na forma de vapor.

Babcock & Wilcox: Pais da caldeira a vapor

Ainda há certa discussão sobre quem desenvolveu a primeira caldeira geradora de vapor. No entanto, a maioria das pessoas costuma concordar que George Babcock e Steven Wilcox exerceram papel fundamental para a primeira caldeira a vapor ser desenvolvida.

Eles foram dois fundadores da caldeira de geração de vapor, patenteando, em 1867, o projeto por eles desenvolvido. Esta caldeira usava tubos dentro de uma estrutura com paredes refratárias para gerar vapor.

Suas primeiras caldeiras faziam uso do carvão mineral que operava a uma taxa muito baixa de entrada de calor. As paredes sólidas de tijolos refratários que formavam o recinto para a unidade eram necessárias porque ajudavam o processo de combustão ao reaproximar o calor da área da fornalha.

Com o passar dos anos, diversos outros projetos de caldeiras a vapor foram sendo desenvolvidos por outras empresas, visando a melhora do fluxo de água e vapor pela caldeira aumentando a capacidade de geração de vapor e consequentemente a eficiência do equipamento.

Novos projetos em caldeiras: Chegou a hora da biomassa!

Na atual conjuntura de desenvolvimento mundial, questões relacionadas à sustentabilidade estão cada vez mais em evidencia. Em razão disso, a indústria da caldeira a vapor também começa a priorizar novas caldeiras em resposta a demanda sustentável do planeta.

Catálogo de caldeiras a biomassa, baixe agora! Secamaq

Neste sentido, diferentes variedades de caldeiras projetadas para realizar a queima de combustíveis alternativos são desenvolvidas, onde a biomassa vem sendo a fonte energética mais significativa para o futuro da geração energética.

Além disso, as modernas caldeiras a biomassa também reduzem a dependência das industrias por combustíveis fósseis, como petróleo e gás natural, fato esse que é fundamental para o futuro do planeta.

Para o futuro, podemos esperar que o constante desenvolvimento da caldeira a vapor passará impreterivelmente pelo melhor uso da biomassa. Novos projetos em caldeiras irão beneficiar o uso dessa fonte energética, sempre buscando a máxima eficiência na geração de vapor para diversos processos industriais.

Você quer participar desse futuro da caldeira a vapor? Então veja porque você deve escolher uma caldeira a biomassa.

5 vantagens ao adquirir uma caldeira a biomassa

5 vantagens ao adquirir uma caldeira a biomassa

A caldeira a biomassa é hoje uma das formas de gerar calor e vapor com maior eficiência em todo o planeta. Por isso, vem sendo utilizada com bastante frequência em diversos processos industriais.

Devido aos ganhos em sustentabilidade, a biomassa vem sendo utilizada em substituição ao petróleo e ao gás natural, que antes eram fontes muito abundantes, mas hoje começam a enfrentar problemas e se tornar caras.

Além da questão da sustentabilidade, o uso da caldeira a biomassa na geração energética proporciona muitas outras vantagens que, certamente, incentivarão você a escolher comprar este tipo de equipamento em seus processos.

Conheça então as 5 principais vantagens que você terá ao adquirir uma caldeira a biomassa para seu processo industrial.

  1. Energia totalmente renovável

A biomassa é, por definição, um material biológico derivado de organismos vivos (vegetal, animal e microrganismos), tendo a madeira como a forma mais comum de biomassa.

As formas de biomassa são consideradas fontes estratégicas para a mudança da matriz energética mundial e, consequentemente, contribuir com o futuro do planeta, pois é uma fonte de energia renovável. A capacidade de renovação ocorre a partir do momento em que se pode, via manejo correto, garantir seu ciclo.

O exemplo mais comum é a garantia do reflorestamento ou replantio de florestas que fornecem madeira (pellets, troncos, lascas) para alimentar os diversos modelos de caldeira a biomassa.

Assim, ao contrário do carvão – que necessita de uma vida inteira para regenerar – ou o petróleo – combustível não renovável – a biomassa pode ser obtida de forma relativamente rápida substituindo ou cultivando novas plantas ou árvores.

  1. Fonte energética pouco poluente

Além de ser uma fonte energética renovável, a biomassa também tem a característica de ser neutra em carbono, ou seja, é pouco poluente quando comparada a outras formas energéticas.

Isso ocorre, pois durante o processo de queima ocorrido na caldeira a biomassa a mesma quantidade de dióxido de carbono que é liberada é mais tarde reabsorvida pelas plantas durante seu crescimento, neutralizando o carbono emitido.

Além disso, há estudos que indicam que a substituição de um sistema de aquecimento elétrico ou a carvão por uma caldeira a biomassa pode ajudar o empresário a reduzir sua produção de dióxido de carbono em até 9,5 toneladas por ano.

  1. O combustível da caldeira a biomassa é barato!

Essa, possivelmente é uma das vantagens mais significativas da biomassa quando comparada a outras formas de combustível. Isso porque a biomassa é um combustível mais barato quando comparada outras formas de combustíveis.

Além disso, os preços da biomassa são semelhantes aos preços do gás, entretanto são muito mais baratos do que a energia elétrica e o combustível sólido, tornando a caldeira a biomassa ideal para gerar energia nestes sistemas.

A biomassa costuma também apresentar preços bem mais estáveis, já que seu preço é definido por um mercado mais regionalizado, não sendo vulnerável nem influenciado pelas mudanças no âmbito macroeconômico.

Fato contrário ocorre com os óleos, cujo preços são definidos pelo mercado externo, portanto podem variar mais fortemente de acordo com o que ocorre na economia mundial.

  1. Menor corrosão dos equipamentos

Quando utilizada como forma de combustível, a biomassa também afeta minimamente a caldeira, mantendo a sua capacidade de resistência. Isso porque, quando este tipo de combustível é utilizado verifica-se menor corrosão em todos os equipamentos relacionados ao processo de queima, como caldeiras e fornos.

Assim, além do ganho econômico pelo fato do combustível ser mais barato, haverá um ganho em manutenção da caldeira a biomassa, que inclusive poderá ter maior vida útil e maior segurança.

  1. Aumenta a confiança de toda a sociedade

Ao adquirir uma caldeira a biomassa para gerar energia, o empresário estará automaticamente adotando condutas de minimização dos impactos ambientais. Tal fato fortalece, por consequência, a confiança das partes interessadas que interagem com a empresa, pois aumenta-se a transparência em sustentabilidade ambiental.

Em alguns casos, inclusive a imagem da empresa começa a exercer um papel central na escolha do consumidor, ou seja, empresas que se preocupar em adotar ações mais sustentáveis – como o uso de uma caldeira a biomassa – tendem a ganhar mais espaço na aceitação do mercado consumidor.

Portanto, a aquisição da caldeira a biomassa representa a uma vantagem competitiva sustentável para a empresa. Mas lembre-se, escolher o fabricante ideal e qualidade ficado para compra desse equipamento é de extrema importância

Já que, ao adquirir este equipamento a indústria terá a capacidade de melhor destinar os resíduos gerados, economizar dinheiro e gerar empregos regionalmente, tudo baseado em um desenvolvimento bem mais sustentável.

Agora que você conhece as 5 vantagens da caldeira a biomassa, convidamos você a conhecer a importância do filtro de mangas na indústria

Checklist Manutenção de Caldeiras | Secamaq