Como funciona a limpeza de caldeiras e sua importância

Como funciona a limpeza de caldeiras e sua importância

Caldeiras são geradores de vapor caracterizados por apresentar aspectos construtivos e de funcionamento bastante diferentes. Entretanto há uma característica fundamental que é inerente a todas as variedades deste equipamento. A necessidade da limpeza de caldeiras.

Mesmo sendo cada vez mais modernas, podendo ser utilizadas pela indústria 24 horas por dia e sete dias por semana, as caldeiras são caracterizadas por começar a acumular cinzas, detritos e incrustações que, com o tempo, podem prejudicar seu desempenho.

Para evitar essa queda no desempenho é fundamental proceder com a limpeza de caldeiras. Este processo deve ser realizado de forma periódica e sempre eficaz, já que a falta da limpeza poderá comprometer a eficiência e até a segurança da caldeira, gerando um prejuízo enorme à empresa.

Veja a seguir porque a limpeza de caldeiras é um processo que deve ser levado muito a sério pela indústria. Veja também como esse processo costuma ser conduzido.

Checklist de Manutenção de Caldeiras, baixe grátis | Secamaq

Por que promover a limpeza de caldeiras?

As modernas caldeiras têm por característica utilizar milhares de litros de água por hora, resultado das imensas taxas de geração de vapor. Porém, por muitas vezes, a água fornecida às caldeiras não é tratada corretamente, podendo ainda conter pequenas quantidades de elementos e propriedades que são danosos à caldeira.

Estes materiais são importantes formadores de incrustações no interior da caldeira. Com o tempo, as superfícies de aquecimento interno das caldeiras tendem a ficar revestidas com estas incrustações, provocando redução da eficiência da transferência de calor e possíveis picos de sobreaquecimento, com subsequentes falhas nos tubos.

Também há a questão das corrosões, onde os elementos danosos em excesso presentes na água ou no combustível utilizado podem ser os responsáveis por provocar sérios problemas à caldeira, que em situações mais graves, pode até colapsar.

Por esta razão, promover a limpeza de caldeiras representa um procedimento fundamental. Ao fazer isso, será possível remover depósitos excessivos de água que podem consistir em produtos de corrosão, incrustações minerais, lama ou contaminantes do processo, como cálcio, magnésio, cobre, ferro e sílica.

Além de minimizar falhas, a limpeza de caldeiras, quando realizada de forma regular e completa pode revelar a verdadeira condição do metal da caldeira, possibilitando a restauração da sua eficiência energética.

Como é feita a limpeza de caldeiras?

Também conhecida como higienização de geradores de vapor, a limpeza de caldeiras é realizada de diferentes formas que variam da limpeza off-line – que requer uma interrupção planejada da caldeira – e a limpeza on-line que, pode ocorrer enquanto a fábrica ainda está em operação.

O processo de limpeza mais tradicional costuma ocorrer em três etapas: limpeza alcalina; limpeza ácida; e passivação. Veja a seguir as características relacionadas a cada uma dessas etapas.

Alguns acessórios que aumentam o período entre as limpezas da caldeira e assim a sua eficiência, como o Redler e o Soprador de Fuligem.

  • São equipamentos presentes na Caldeiras Grelha Móvel;
  • São acessórios que podem ser adquiridos como opcionais para as demais caldeiras;
  • Aumentam em até 3 vezes o período entre as limpezas da caldeira, reduzindo os tempos de parada para limpeza.

Limpeza Alcalina

Também chamada de higienização alcalina, essa etapa da limpeza de caldeiras é realizada em equipamentos novos. Seu objetivo é a remoção de graxas, vernizes e óleos utilizado durante o procedimento de montagem. Também é responsável pela limpeza de depósitos de óxidos de ferro.

A limpeza alcalina também pode ser adotada em caldeiras já usadas. Neste caso, objetiva-se facilitar a limpeza ácida, transformando os depósitos existentes em porosos e carbonatados. Para isso, faz uso de Na2CO3 (barrilha), que quando aquecido, retira todo o material oleoso residual do equipamento.

Na limpeza alcalina, as substâncias mais utilizadas são: barrilha, dispersantes, soda caustica, fosfatos e complexantes.

Do ponto de vista técnico, pode-se dizer que durante a limpeza de caldeiras em sua etapa alcalina acontecem os seguintes processos:

  • Emulsificação de óleos e graxas minerais;
  • Complexação e dispersão dos depósitos de pouca aderência;
  • Saponificação de óleos e graxas, animais ou vegetais;
  • Condicionamento de depósitos.

Limpeza ácida

No processo da completa limpeza de caldeiras esta etapa é considerada a mais difícil, pois tem como objetivo a retirada de depósitos que a limpeza alcalina não foi capaz de realizar. Essa remoção pode ser realizada através do deslocamento do depósito ou por solubilização.

Nesta etapa da limpeza podem ser utilizados diferentes ácidos, tanto orgânicos quanto inorgânicos, onde a definição do ácido a ser adotado se baseará na natureza química do depósito. O ácido cítrico, por exemplo, é utilizado na remoção de óxidos de ferro, por exemplo.

Após a remoção dos depósitos, inibidores de corrosão devem ser adicionados às soluções de ácidos, isso porque estes podem acabar corroendo as diversas formas de aço presentes nas caldeiras.

Passivação

Considerada a última parte do processo de limpeza de caldeiras, a passivação deve ser iniciada imediatamente após o fim da higienização ácida para não haver exposição do metal ao ácido.

Durante este processo, uma camada de magnetita (Fe3O4) é aplicada sobre a superfície de proteção no interior dos tubos. A magnetita terá a função de retirar os óxidos de ferro acumulados durante a limpeza ácida.

Para que ocorra a oxidação, há a necessidade de promover o aumento de acidez com o auxílio do hidróxido de amônio (NH4OH) e do nitrito de sódio (NaNO2).

Por fim, vale ressaltar que o processo de limpeza demanda alguns dias para ser totalmente concluído. Mas, independentemente disso, é imprescindível que essa limpeza seja feita apenas por profissionais competentes e devidamente habilitados para a tarefa.

Uma boa limpeza é parte importante da manutenção de caldeiras. Por isso, com o objetivo de ajudá-lo na manutenção preparamos esse checklist exclusivo.

E-book de modelos de caldeiras e aplicações da biomassa, baixe grátis | Secamaq

10 cuidados para manter sua caldeira em dia

10 cuidados para manter sua caldeira em dia

Toda caldeira costuma representar um alto investimento para empresas, sendo projetadas para criar uma incrível quantidade de calor e vapor de água quente de forma quase que ininterrupta.

Assim, qualquer problema quanto ao correto funcionamento da caldeira, pode afetar o andamento do processo industrial que, invariavelmente, pode representar perda financeira.

Estes problemas associados ao mal funcionamento de caldeiras costumam ser bastante variados, mas estão ligados principalmente à falta manutenção e à operação incorreta do equipamento.

Conheça então os 10 cuidados mais importantes para que você consiga manter a sua caldeira sempre em dia.

  1. Evite condições de baixa água

Toda caldeira precisa de água para funcionar, assim o potencial de danos severos a uma caldeira como resultado de condições de pouca água é fácil de se imaginar, além disso, caldeiras são equipamentos que funcionam sempre sob alta temperatura.

Neste contexto, algumas das causas mais comuns de condições de baixa água são:

  • Falha na bomba de água de alimentação e na válvula de controle;
  • Perda de água para o sistema de água de compensação;
  • Falha no controlador de nível de bateria;
  • Controlador de nível de bateria deixado inadvertidamente na posição “manual”;
  • Perda de pressão do ar da instalação para controlar o atuador da válvula;
  • Levantamento de válvula de segurança

Devido à essa necessidade por água, as caldeiras mais modernas são equipadas com interruptores automáticos de queda de água, entretanto, algumas caldeiras mais antigas podem não ter esses dispositivos. Se esse é o caso da sua caldeira, não perca tempo e inicie prontamente a instalação.

Conheça nosso catálogo de acessórios para caldeiras, baixe grátis! | Secamaq

Em razão do alto perigo, as condições da água devem ser monitoradas constantemente e abordadas por meio de manutenção de rotina, garantindo a eficiência operacional e a segurança do equipamento.

  1. Mantenha a concentração de sólidos da água dentro de limites

A presença excessiva de sólidos em suspensão e sílica são responsáveis por causar sérios danos à caldeira, como incrustações, diminuição na qualidade da troca térmica e aumento do consumo de combustível.

Dessa forma, a concentração de sólidos indesejáveis ​​em uma caldeira deve ser reduzida por meio do tratamento adequado da água de alimentação e da operação apropriada de um sistema de purga contínua, além da realização da purga intermitente em uma base regular.

O objetivo principal dos purgadores é manter a concentração de sólidos da água da caldeira dentro de certos limites aceitáveis. A taxa de descarga pode ser determinada por vários fatores que incluem sólidos dissolvidos, sólidos suspensos, sílica e alcalinidade.

Vale ressaltar que a medida que a pressão de operação aumenta, os limites tornam-se mais rigorosos. Isso pode potencialmente exigir uma taxa de descarga extremamente alta se o amolecimento do zeólito sódico for o método de tratamento de água de alimentação.

Para diminuir a taxa de descarga e controlar a concentração de sílica, um sistema de tratamento de água desmineralizada total pode ser a medida utilizada já que remove os ânions e os cátions em vez de substituí-los por outros íons.

  1. Priorize o tratamento da água

Um ponto importante de controle na operação de uma caldeira, com foco na sua longevidade, eficiência e segurança, é a qualidade da água de alimentação e a qualidade da água utilizada na caldeira.

A água de alimentação da caldeira é tratada para protegê-la principalmente contra dois problemas básicos: o acúmulo de depósitos sólidos e a corrosão.

Quanto ao acúmulo de depósitos sólidos nos tubos, a melhor forma de evita-los na água de alimentação da caldeira é reduzi-los a limites aceitáveis, onde quanto maior a pressão de operação e a temperatura da caldeira, mais rigorosos são os requisitos para o tratamento adequado da água de alimentação.

Já o método mais eficaz de controle da corrosão dentro da caldeira é a desaeração adequada da água, ou seja, remoção de oxigênio da água, visto que essa remoção reduz drasticamente o potencial de corrosão.

Essa remoção é geralmente realizada com o uso de desaeradores. Essas unidades normalmente utilizam vapor para pré-aquecer a água de alimentação e remover o oxigênio, o dióxido de carbono e outros gases da água de reposição.

Os produtos químicos de eliminação de oxigênio também são comumente injetados no sistema para fornecer uma medida adicional de proteção. Além disso, o tambor de vapor da caldeira geralmente fornece produtos químicos de forma controlada para proteção ainda maior.

Assim, que você quer manter sua caldeira em dia, tenha um cuidado especial com a qualidade da água utilizada.

  1. Evite o aquecimento indevido

O aquecimento inadequado de uma caldeira costuma ser um problema comum, principalmente em razão da maior necessidade por vapor em processos industriais. Dessa forma, se a caldeira for “capaz” de produzir mais vapor, a empresa vai querer produzi-lo, independente dos problemas associados.

O aquecimento inadequado de uma caldeira de vapor é uma das dificuldades a serem suportadas pela caldeira. Passar pelo ciclo de inicialização, operação e desligamento de qualquer caldeira gera tensões mais altas no equipamento e, consequentemente, muito mais problemas de tipo de manutenção do que a operação contínua na capacidade nominal máxima.

Um bom design aliado a uma transição lenta entre essas condições são essenciais para prolongar a vida útil da caldeira e reduzir a possibilidade de falha. Além disso, um bom planejamento e uso correto permitirão que a caldeira seja iniciada adequadamente, prolongando sua vida útil e eliminando reparos dispendiosos de manutenção.

  1. Realize o Teste de Intertravamento

A caldeira queima combustível, gerando calor e energia, mas esse processo deve ser controlado para que a combustão ocorra onde queremos que ocorra! Por isso, este equipamento é composto por uma série de válvulas, tubulações, fios e interruptores que são incumbidos em realizar este controle.

Todos esses dispositivos de segurança estão interligados a um controlador de segurança representado por um sistema de gerenciamento de queimadores. Este é considerado o “cérebro” responsável por supervisionar e sequenciar todos os esforços de desligamento, incluindo o tempo e a adequação da purga antes do desligamento e os intervalos de tempo permitidos para acender os pilotos e as chamas principais.

Esse sistema atua como se fosse uma sentinela de segurança, monitorando todos os interruptores e condições de segurança enquanto espera para direcionar as válvulas de combustível para fechar em caso de algum problema.

Portanto, você deve manter os sistemas de segurança e eficiência da sua caldeira sempre em dia.

  1. Priorize treinamentos constantes

Sem dúvidas, o treinamento de operadores é um importante processo que você deve priorizar. Entretanto, os códigos nacionais e internacionais costumam oferecer muito pouca orientação específica em relação às formas de treinamento, costumam dizer que “o treinamento é absolutamente necessário e que deve ser feito regularmente…”.

Mas independente das normas, é importante que o treinamento do operador seja abrangente, consistente, prático e formalmente aplicado. Hoje não podemos mais confiar na suposição de que habilidades e conhecimentos de operadores veteranos foram repassados aos mais novos.

Se o treinamento for realizado de forma indevida, sua instalação pode arcar com o risco de “aprender” da maneira mais difícil, e você não quer isso, certo?

  1. Faça manutenção Preventiva com eficiência

Um programa abrangente de manutenção preventiva em sua caldeira é, juntamente com o treinamento de qualidade, a sua maior defesa contra acidentes.

Checklist de manutenção preventiva de caldeiras, baixe agora! | Secamaq

Se não receber a manutenção adequada, o equipamento de combustão pode se tornar menos seguro a cada minuto de operação. Diversos são os problemas operacionais ou de manutenção que podem causar sérios danos a sua caldeira e à segurança da sua empresa, tais como:

  • Poeira, sujeira e detritos que se acumulam nos ventiladores e queimadores de ar de combustão, alterando as relações ar/combustível;
  • Válvulas de controle de gás que se desgastam cada vez que são acionadas;
  • Diafragmas e contatos do pressostato que se tornam mais sensíveis à idade;
  • Controles de nível de água que acumulam lodo.

A solução para estes problemas é a realização da manutenção preventiva. Entretanto, não permita que seu pessoal tente ajustar queimadores, trocar as válvulas de controle de taxa de disparo ou substituir os sistemas de gerenciamento de queimadores, a menos que tenham sido devidamente treinados para tal.

Caso sua equipe não seja capacitada, você deve buscar auxilio de empresas na manutenção da sua caldeira, mas sempre busque auxilio de empresas especializadas e com pessoal altamente capacitado. Afinal, é a reputação da sua empresa que está sendo colocada em jogo!

  1. Você tem toda a documentação necessária da sua caldeira?

Além da manutenção de excelência no seu equipamento, outro problema que você deve monitorar de perto é a sua documentação. Tais documentos apresentam todos os desenhos de painel, pontos de ajuste de interruptor, tempos de purga e até mesmo números de modelo de componente e manuais operacionais.

Muitos incidentes ocorreram devido à solução incorreta de problemas porque as informações necessárias não estavam prontamente disponíveis, ou seja, a documentação não foi encontrada.

A documentação adequada pode significar a diferença entre uma operação eficiente e desastre potencial. Por isso, vale a pena auditar os materiais relacionados a procedimentos, conformidade e equipamentos que devem ser mantidos em um local conhecido para facilitar o acesso quando necessário.

Seja precavido, não espere o problema ocorrer para somente depois juntar os documentos. Por isso, faça uma análise de lacunas proativamente e tenha um plano de longo prazo compatível com os códigos mais recentes.

  1. Cuidado com o equipamento antigo!

Os inspetores jurisdicionais muitas vezes têm as mãos atadas quando se trata daquilo que podem pedir a alguém para fazer, isso porque o que eles estão inspecionando é frequentemente limitado exatamente o que está previsto na lei.

Por exemplo, em muitos casos, eles avaliam o equipamento com base em sua conformidade com o código para quando ele foi instalado, lembrando que essa conformidade com código não é retroativa. E, muitas caldeiras já podem ser relativamente defasadas quando comparadas à equipamentos mais modernos.

Os códigos geralmente mudam em ciclos de três anos, mas a conformidade com novas versões é opcional. A diferença entre o que está instalado e o código atual é chamado de lacuna. A realização de análise de lacunas no equipamento, à medida que é instalado, pode fornecer um roteiro para obter a corrente e maximizar a segurança.

Portanto, se você tem um equipamento antigo, tenha ainda mais cuidado com a qualidade e eficiência da sua manutenção.

Você pode também ponderar a possibilidade em adquirir uma caldeira nova e moderna, além de adquirir os acessórios mais eficientes em todos seus aspectos. Dessa forma, aproveite e conheça a linha de acessórios da Secamaq.

  1.  Esteja preparado ao inesperado fator humano

Assim que sua caldeira está devidamente instalada e funcionando corretamente, fica a pergunta: Quem está apto e qualificado para operar e manter o equipamento?

Essa questão é fundamental, isso porque estatísticas relacionadas à incidentes e acidentes em caldeiras mostram que quase 40% de todas falhas e acidentes são causados ​​por erro humano ou má manutenção, ou seja, pela ação humana. Daí a importância do fator humano na qualidade de operação da sua caldeira.

Para isso, faça uma “análise das lacunas humanas” (assim como é feito com a lacuna dos códigos), capaz de identificar o estado de conhecimento e habilidades em relação à equipe de operações e manutenção.

Faça do treinamento do(s) operador(es) um esforço regular e sério. Seja proativo. Dê os passos certos com antecedência e equipe sua fábrica e seus funcionários com o melhor que você pode oferecer, como treinamento, conhecimento e ferramentas de que precisam para realizar seus trabalhos com segurança.

Você quer saber se sua caldeira está em dia? Então baixe o checklist Secamaq de manutenção de caldeiras agora mesmo!

E-book de modelos de caldeiras e aplicações da biomassa, baixe agora! | Secamaq

Você precisa de uma caldeira industrial e não sabe escolher? Vamos ajudá-lo

Você precisa de uma caldeira industrial e não sabe escolher? Vamos ajudá-lo

A caldeira industrial é um equipamento metálico considerado essencial em diversos processos industriais. Ela é responsável por produzir e acumular vapor sob pressão superior à atmosférica, utilizando para isso diversas fontes combustíveis.

Portanto, se você pensa em criar uma nova ou aprimorar a sua indústria, possivelmente irá necessitar de uma caldeira industrial que irá fornecer vapor e energia aos seus processos.

Entretanto, a escolha da caldeira industrial é um processo que envolve muitos cuidados, com recorrentes pesquisas de mercado, sempre alinhando o que a empresa fornecedora tem a oferecer com o que você realmente necessita.

De fato, as dúvidas quanto as escolhas da caldeira industrial são muitas e precisam ser muito bem solucionadas, somente assim você conseguirá adquirir a caldeira que mais se adequa às suas necessidades.

Conheça neste texto os itens mais essenciais que você deve considerar na compra de uma caldeira industrial.

E-book de modelos de caldeiras e aplicações da biomassa | Secamaq

Por que comprar uma caldeira industrial?

Como já dito, praticamente todo tipo de indústria necessita gerar vapor para vários de seus processos.

O calor do vapor pode ser utilizado como fonte de energia térmica, aquecendo ambientes, processo chamado de calefação. Já o vapor gerado pela caldeira pode ser utilizado para energizar e movimentar diversas máquinas, além de auxiliar em processos de esterilização e limpeza, imprescindíveis em indústrias mais específicas.

Nestes ambientes, a compra de uma caldeira industrial é uma solução econômica e eficaz para a geração de vapor.

Porém, o investimento em uma caldeira industrial geralmente não é pequeno e, por isso, deve ser realizado com bastante consciência e baseado em algumas questões de suma importância, como veremos a seguir.

O que ponderar para escolher corretamente uma caldeira industrial?

A compra da caldeira industrial é parte importante do investimento na sua indústria. Por isso, a escolha deve ser realizada com muito cuidado. Para isso, você deve definir alguns pontos durante a escolha.

Veja os pontos importantes que deve ter em mente neste momento:

Qual é a necessidade do meu processo industrial?

Possivelmente você já tem a convicção que precisa de uma caldeira industrial, mas você sabe dizer qual será a sua utilidade dentro da fábrica?

Essa é a primeira pergunta que você deve se fazer, visto que há caldeiras recomendadas para a simples calefação, outras destinam-se a produção de energia e há ainda aquelas que fornecerão calor para o processo de secagem, por exemplo a secagem da madeira.

Qual combustível pretendo utilizar?

Neste momento você precisa analisar qual é o combustível com maior disponibilidade na sua região e a partir dessa análise escolher a caldeira que melhor se adequa à essa fonte de combustível. Isso porque, dependendo da caldeira industrial e da fonte combustível, a eficiência pode ser maior ou menor.

Porém, além da disponibilidade, você deve também se preocupar com o custo-benefício que a fonte de combustível escolhida tem na sua empresa.

Por exemplo: Você pode ter carvão ou o óleo nas proximidades, mas o custo destas fontes pode não valer a pena do ponto de vista da eficiência. Assim, você pode ponderar as fontes de biomassa, que tem custo semelhante e dependendo da região, apresentam boa disponibilidade, além de boa eficiência.

Qual é o espaço físico disponível?

Durante a escolha, você escolherá entre as caldeiras industriais horizontais e verticais. Saber qual é a disponibilidade de espaço é fundamental nessa escolha.

Com o avanço da tecnologia, as caldeiras estão cada vez mais compactas, mas mesmo assim você deve se preocupar com o espaço onde ela será instalada, evitando surpresas desagradáveis.

Qual será a capacidade que vou precisar?

Aqui, você deve saber dimensionar corretamente a sua caldeira industrial, guiando-se pelas suas necessidades. Um correto dimensionamento deve mostrar que o equipamento que você pretende adquirir atenderá todas as suas necessidades quanto a geração de vapor.

O correto dimensionamento da caldeira também tem relação com o custo-benefício. Caldeiras mal dimensionadas podem se tornar ociosas – quando a sua capacidade é muito maior que a sua necessidade – ou limitantes – quando a necessidade energética supera a capacidade do equipamento.

Ainda quanto a capacidade da caldeira, no processo de dimensionamento você deve ponderar a possibilidade de expansão futura, ou seja, seu processo industrial pode crescer e sua caldeira deve suportar essa expansão.

Não se esqueça de escolher o melhor fabricante

Com as definições anteriormente citadas já resolvidas chega o momento da escolha mais importante. Saber qual fabricante contratar! Inclusive já discutimos essa temática neste artigo.

Caldeira industrial - Compromisso com a qualidade! | Secamaq

Sem dúvidas, essa é a escolha mais importante, visto que caldeiras são equipamentos que operam a altas temperaturas e pressões, por isso são susceptíveis a explosões e falhas que colocam em risco à segurança dos trabalhadores.

Porém, quando contratamos bons fabricantes, estes riscos são reduzidos a quase zero. Estes utilizam matérias-primas de qualidade e seguem à risca todas as normas quanto à construção de caldeiras industriais.

Além do projeto de construção, você deve se preocupar também com a manutenção e assistência técnica oferecidos pelo fabricante. Portanto sempre escolha aquele fabricante que ofereça um pós-venda de excelência.

Está mais confiante na escolha da sua caldeira industrial? Aproveite e veja qual a importância da correta manutenção de caldeiras

Caldeira aquatubular: Saiba como funciona e conheça suas vantagens

Caldeira aquatubular: Saiba como funciona e conheça suas vantagens

Já discutimos aqui em nosso blog sobre as características e funcionalidades da caldeira flamotubular. Mas agora chegou a hora de conhecermos um modelo de caldeira ainda mais específico: A caldeira aquatubular.

Diferentemente da caldeira flamotubular, os modelos de caldeira aquatubular são mais utilizados em modernos projetos industriais, como as modernas termelétricas, visto que esse modelo tem a capacidade em produzir grandes quantidades de vapor, sempre a elevadas temperaturas e pressão de trabalho.

Conheça as principais características e partes inerentes a uma caldeira aquatubular, além das suas vantagens e desvantagens.

Conceito de uma caldeira aquatubular

Para que haja um melhor entendimento sobre o conceito de uma caldeira aquatubular, devemos compara-la com a forma de funcionamento das caldeiras flamotubulares.

Em caldeiras flamotubulares, os gases são transportados através de tubos até chegar ao interior da caldeira, tendo a água ao redor destes tubos. Já o processo na caldeira aquatubular é oposto, ou seja, a água a ser aquecida passa no interior de tubos que, por sua vez, são envolvidos pelos gases de combustão.

As caldeiras aquatubulares surgiram com o objetivo de suprir a demanda que as caldeiras flamotubulares não tinham a capacidade em cumprir até então.

Isso porque, as caldeiras flamotubulares têm duas características: suportam baixas pressões e; apresentam uma pequena superfície de aquecimento. Assim, o desenvolvimento da caldeira aquatubular foi uma maneira de gerar uma maior quantidade de vapor associado também à capacidade de suportar maiores níveis de pressão.

E-book modelos de caldeiras e aplicações da biomassa | Secamaq

Neste contexto, as caldeiras aquatubulares são geralmente divididas em quatro grandes grupos, assim representados:

  • Caldeiras aquatubulares de tubos retos, com tubulão transversal ou longitudinal;
  • Caldeiras aquatubulares de tubos curvos, com diversos tubulões transversais ou longitudinais utilizados na geração do vapor;
  • Caldeiras aquatubulares de circulação positiva;
  • Caldeiras aquatubulares compactas. 

Principais componentes encontrados em caldeiras aquatubulares

Para que atenda todas as expectativas e necessidades de indústrias e demais processos, a caldeira aquatubular deve contar com algumas peças de extrema importância. Essas peças são as responsáveis por garantir o bom funcionamento do equipamento.  Neste sentido, as peças de maior relevância em uma caldeira aquatubular são:

Tubulão: Caldeiras aquatubulares costumam apresentar um ou dois tubulões, sendo classificados de acordo com a configuração de cada equipamento. Estes tubulões podem ser superiores ou inferiores.

Os primeiros são tambores dispostos horizontalmente, localizados na parte superior da caldeira aquatubular. Funcionam como um reservatório que abriga a água no estado líquido ou gasoso.

Já os tubulões inferiores são conhecidos como balão de lama, estão localizados na parte de baixo da caldeira. Estes têm a função de guarnecer com água as partes de troca térmica. Dessa forma, é feita a vaporização, com uma circulação espontânea.

Feixe Tubular (feixe convectivo): É um conjunto de tubos que recebe calor dos gases proveniente da combustão por convecção, pois encontram-se fora da radiação da queima do combustível.

Paredes D’água: Representam os tubos que revestem a fornalha, absorvendo o calor radiante da chama que irá vaporizar a água dentro dos tubos de troca térmica. Assim, aumenta-se a eficiência da caldeira.

Superaquecedor: Composto por serpentinas, tubos lisos e aletados, montados no fluxo dos gases de combustão, essencialmente na região mais quente da caldeira. O vapor saturado gerado na caldeira é recebido pelo superaquecedor, que via troca térmica elevam a temperatura do vapor acima da temperatura de saturação. Vale ressaltar que a temperatura não pode ultrapassar a prevista para cada material. Para assegurar que isto aconteça, faz-se uso do dessuperaquecedor de vapor.

Isolamento e refratários: Têm a função de isolar a fornalha, evitando que o calor da combustão se perca por entre as peças da caldeira. Assim, aumenta-se a eficiência térmica.

Estrutura e carcaça metálica: Responsáveis por proteger as peças internas e sustentar toda a estrutura da caldeira, não permitindo que o calor escape.

Saída de gases: Representada pela chaminé através da qual os gases da combustão escapam para a área externa da caldeira.

Vantagens e desvantagens da caldeira aquatubular

Quando comparada à caldeira flamotubular, a caldeira aquatubular apresenta algumas vantagens bastante significativas que estimulam seu uso. Dentre as vantagens mais significativas pode-se citar:

  • Capacidade em produzir maiores volumes de vapor, necessários em processos mais exigentes;
  • Capacidade em trabalhar com altas pressões;
  • Possibilidade em suportar e gerar altas temperaturas;
  • Possibilidade em ser alimentada por uma variedade bem grande de combustíveis, inclusive as formas de biomassa que apresentam baixo poder calorífico e dificuldades de queima;
  • Simplificação na limpeza dos tubos, com a possibilidade em ser realizada de forma automática;
  • Durabilidade. O tempo de vida de uma caldeira aquatubular pode facilmente chegar até 30 anos. Porém, para isso é fundamental que haja boa manutenção, manuseio e limpezas programadas.

Baixe agora: Checklist de manutenção de caldeiras | Secamaq

Apesar de todas essas vantagens, há algumas desvantagens que precisam ser consideradas quanto a escolha de uma caldeira aquatubular. Entre as desvantagens mais significativas, pode-se citar:

  • Custo elevado. A caldeira aquatubular pode custar até 50% mais que uma caldeira flamotubular com capacidade equivalente;
  • Sua construção é relativamente mais complexa;
  • Exige tratamento de água bem mais cuidadoso

Portanto, apesar das desvantagens, a caldeira aquatubular tende a ser uma ótima opção para aqueles processos industriais mais exigentes, que necessitam de alta geração de vapor, a altas temperaturas e pressões.

Quer saber mais sobre caldeiras? Então aproveite e saiba como contratar um bom fabricante de caldeiras neste conteúdo

Manutenção de caldeiras: Saiba porque é importante fazer

Manutenção de caldeiras: Saiba porque é importante fazer

Você sabe qual é a importância da realização de uma eficiente manutenção de caldeiras? Se não sabe, é melhor rever seus conceitos, já que a segurança do seu negócio está em jogo.

Como sabemos, caldeiras são equipamentos geradores de energia que funcionam sempre sob alta pressão, por isso são susceptíveis a falhas que, em casos mais graves, podem até ocasionar sérias explosões.

Além do mais, qualquer empresa que fica parada em decorrência de alguma manutenção não realizada na caldeira, impactará perda econômica que precisa ser evitada.

Assim, para evitar que esses problemas persistam é imprescindível que se faça uma eficiente manutenção de caldeiras baseada na NR-13. Mas qual a importância da manutenção de caldeiras? Como faze-la de forma eficiente? É o que veremos a seguir!

Importância da eficiência na manutenção de caldeiras

A manutenção de caldeiras representa um processo fundamental em todo tipo de empresa devido a diversas razões que indicam o quão importante é a preocupação com este equipamento.

A primeira razão tem relação direta com a segurança das operações da empresa. Caldeiras trabalham sempre sob alta pressão, por isso elas têm diversos sistemas de segurança que garantem o bom funcionamento do equipamento. Entretanto, por falta de manutenção e inspeção preventivos, tais sistemas podem não funcionar como devem, acarretando em problemas.

Outra razão relaciona-se com as paradas do equipamento devido a alguma falha que inviabiliza o uso da caldeira. Este fato precisa ser evitado com uma boa manutenção de caldeiras, visto que qualquer equipamento parado por falta de manutenção significará perda de dinheiro, comprometendo o dia a dia das atividades e a geração de renda da indústria.

Ainda sobre a questão econômica, o investimento em bons equipamentos de caldeiraria costuma ser bem alto, assim priorizar a manutenção de caldeiras significará fazer jus ao alto investimento, garantindo que a caldeira irá trabalhar durante a sua vida útil sugerida pelo fabricante sem maiores problemas.

Em virtude desses aspectos, manter a manutenção de caldeiras sempre em dia é imprescindível, pois irá prevenir acidentes, gerar energia para a indústria sem longas interrupções e fazer valer o investimento.

NR13 – Fundamental para garantir uma boa manutenção

Os aspectos anteriormente citados são evitados quando toda a operação das caldeiras é submetida à NR-13, aprovada pela Portaria n° 3.214 de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho e Emprego.

Esta norma regulamentadora estabelece de forma clara e inequívoca os requisitos mínimos que precisam ser atendidos pelas empresas para a gestão das caldeiras a vapor, vasos de pressão e suas tubulações de interligação.

Estes requisitos relacionam-se aos aspectos relacionados às questões ligadas à instalação, inspeção, operação e principalmente manutenção de caldeiras, visando maior segurança e saúde dos trabalhadores.  Conhecer e cumprir as exigências da NR-13 é, sem dúvidas, a melhor forma de evitar sérios problemas com caldeiras.

Para isso, a NR-13 indica que as medidas de segurança e um eficiente processo de manutenção de caldeiras irão evitar a ocorrência de acidentes, além de eventos trágicos, causando ferimentos e até a morte de trabalhadores.

Etapas relacionadas à manutenção de caldeiras

Para uma eficiente manutenção de caldeiras os profissionais designados a essa importante ação, devem seguir o exigido pela NR-13. A partir disso, devem elaborar um plano de manutenção de caldeiras.

Neste plano devem ser descritos a periodicidade de manutenções, definição de instrumentos e sistemas de controle, além da atribuição de profissionais com competência legal para executar este tipo de atividade.

Vale lembrar que estes profissionais devem receber treinamentos específicos quanto a aplicação da NR-13, assim como sempre realizar cursos de reciclagem periodicamente.

Os responsáveis pela inspeção e manutenção de caldeiras precisam realizar várias tarefas fundamentais. Neste sentido, alguns itens merecem atenção máxima, tanto que estão descritos como obrigatórios na NR-13. A Secamaq realiza um PROJETO AÇÃO, onde realizam um plano de manutenção preventiva e corretiva de caldeiras ‘in loco’, em vários clientes e também outras marcas de fabricante. É feito esse serviço em todas as unidades frigoríficas de carnes da JBS.

As tarefas que não podem passar despercebidas durante a inspeção e manutenção de caldeiras são:

  1. Inspeção dos cruzamentos de solda da fornalha;
  2. Exame visual nos espelhos frontal e traseiro da caldeira;
  3. Limpeza dos eletrodos tanto da garrafa de nível quanto do corpo da caldeira;
  4. Verificação de toda a fiação elétrica;
  5. Verificação do sistema de alimentação de água;
  6. Verificação da saída de vapor;
  7. Calibragem e manutenção de todos os dispositivos de segurança, como: válvula de segurança, manômetros, pressostatos, controladores de nível, indicadores de temperatura de gases da chaminé;
  8. Manutenção no quadro elétrico;
  9. Análise do estado de conservação da tubulação de água da caldeira, além da análise do tratamento da água juntamente com o profissional competente;
  10. Realização de testes nos sistemas de emergência.

Essas atividades são fundamentais e devem ser realizadas segundo o disposto no plano de manutenção de caldeiras, garantindo a integridade do equipamento e dos trabalhadores.

 

Gostou deste assunto? Então aproveite e veja quais os benefícios que você terá ao contratar um fabricante de caldeiras qualificado

Filtro de mangas na Indústria – Saiba o que é e como funciona

Filtro de mangas na Indústria – Saiba o que é e como funciona

Em muitos processos industriais, as caldeiras costumam gerar partículas ou gases poluentes que costumam interferir bastante na qualidade do ambiente, e por muitas vezes, até mesmo na segurança dos trabalhadores. E é ai que entra o papel dos filtro de mangas.

Para reduzir os efeitos negativos deste processo, os responsáveis pelas indústrias precisam buscar algumas alternativas para reduzir a quantidade de partículas lançadas na atmosfera. Neste sentido, muitas indústrias estão adotando a instalação do que chamamos de filtro de mangas.

Este é um equipamento filtrante que tem por finalidade controlar a emissão de particulado, separando as partículas existentes no fluxo de gases industriais. Este equipamento visa ajudar a solucionar este problema tão comum da indústria, além de contribuir com o atendimento de todas as exigências ambientais.

Mas como funcionam o filtro de mangas? Quais suas características e vantagens/desvantagens? Veja tudo a seguir.

O que é e, como funciona o filtro de mangas?

filtro de mangas é um equipamento que associado a um exaustor e dutos que formam um sistema que objetiva exaurir o ar contaminado gerado em caldeiras, separando o material particulado por meio de mangas em tecidos próprios que ajudam na filtragem dos gases.

Basicamente, um filtro de mangas tem a função de separar as partículas (fase sólida) dos gases efluentes (fase gasosa), objetivando a recuperação de produto industrial sólido e purificação dos gases mediante a retirada dos poluentes.

No filtro de mangas a filtração será realizada pela passagem do gás carregado com as partículas através do elemento filtrante (as mangas). Este processo permite que as partículas fiquem retidas na superfície do tecido e nos poros das fibras, formando assim uma torta de filtração.

Assim em que se atinge o tempo de filtração ou queda de pressão máxima previamente determinada para cada equipamento, a torta então é removida da manga.

Vantagens e desvantagens 

Sem sombra de dúvidas, a maior vantagem da adoção do filtro de mangas relaciona-se à redução da emissão de poluentes na atmosfera a um custo/benefício relativamente reduzido.

Além do mais, o filtro de mangas é muito versátil e, se o projeto for bem elaborado, o filtro se enquadra a todos os tipos de indústrias, facilitando ainda na redução de custos com o pós-tratamento do particulado, visto que ele gera um dejeto seco.

Como desvantagem principal, pode-se citar o custo de manutenção e de operação do equipamento.

Assim, para garantir a máxima eficiência, é fundamental que a indústria disponha de uma equipe com conhecimento para operação e manutenção preventiva do equipamento. Visto que para terem eficiência, os filtros de mangas demandam: Linha de ar comprimido que funcione perfeitamente, uma pressão que seja estável, além de baixos teores de água e óleo para obtenção de uma boa performance de limpeza (filtros tipo jato pulsante).

Vale ressaltar também, que o equipamento de filtração das mangas não tolera condensação de umidade elevada ou ácidos, nem temperaturas gasosas maiores que o limite de temperatura que a manga filtrante suporta.

Dessa forma, as condições térmicas e químicas do fluxo de gases e, do particulado, além da granulometria do particulado são fundamentais na escolha de uma fibra que resista a esta combinação de variáveis.

Filtro de mangas na queima de biomassa como combustível

Nos últimos anos, a queima de biomassa realizada em caldeiras vem ganhando bastante adeptos. Mas como sabemos, esta queima costuma emitir uma quantidade de material particulado relativamente superior quando comparada à queima de combustíveis fósseis.

Tal ocorrência requer, por parte da indústria, investimentos em sistemas de filtragem altamente eficientes.

Neste sentido, muitas indústrias costumam utilizar 2 tipos de filtros de forma sequencial: multiciclone e filtro de mangas. O primeiro, tem a função de reter as partículas maiores, já o filtro de mangas, tem a função de reter as partículas mais finas e o ganho, neste sentido, pode ser bastante importante.

Em algumas indústrias, as cinzas captadas neste processo têm características fertilizantes e, por isso, podem se destinar à fabricação de adubo orgânico ou, compostagem, gerando renda extra à indústria. Como exemplo podemos citar a cinza da casca de arroz, que contém sílica e potássio, elementos benéficos para o solo.

Para ficar por dentro de todas as nossas novidades no blog, não deixe de acompanhar. Aproveite e confira sobre o consumo de combustível em caldeiras. Até a próxima!