Em muitos processos industriais, as caldeiras costumam gerar partículas ou gases poluentes que costumam interferir bastante na qualidade do ambiente, e por muitas vezes, até mesmo na segurança dos trabalhadores. E é ai que entra o papel dos filtro de mangas.

Para reduzir os efeitos negativos deste processo, os responsáveis pelas indústrias precisam buscar algumas alternativas para reduzir a quantidade de partículas lançadas na atmosfera. Neste sentido, muitas indústrias estão adotando a instalação do que chamamos de filtro de mangas.

Este é um equipamento filtrante que tem por finalidade controlar a emissão de particulado, separando as partículas existentes no fluxo de gases industriais. Este equipamento visa ajudar a solucionar este problema tão comum da indústria, além de contribuir com o atendimento de todas as exigências ambientais.

Mas como funcionam o filtro de mangas? Quais suas características e vantagens/desvantagens? Veja tudo a seguir.

O que é e, como funciona o filtro de mangas?

filtro de mangas é um equipamento que associado a um exaustor e dutos que formam um sistema que objetiva exaurir o ar contaminado gerado em caldeiras, separando o material particulado por meio de mangas em tecidos próprios que ajudam na filtragem dos gases.

Basicamente, um filtro de mangas tem a função de separar as partículas (fase sólida) dos gases efluentes (fase gasosa), objetivando a recuperação de produto industrial sólido e purificação dos gases mediante a retirada dos poluentes.

No filtro de mangas a filtração será realizada pela passagem do gás carregado com as partículas através do elemento filtrante (as mangas). Este processo permite que as partículas fiquem retidas na superfície do tecido e nos poros das fibras, formando assim uma torta de filtração.

Assim em que se atinge o tempo de filtração ou queda de pressão máxima previamente determinada para cada equipamento, a torta então é removida da manga.

Vantagens e desvantagens 

Sem sombra de dúvidas, a maior vantagem da adoção do filtro de mangas relaciona-se à redução da emissão de poluentes na atmosfera a um custo/benefício relativamente reduzido.

Além do mais, o filtro de mangas é muito versátil e, se o projeto for bem elaborado, o filtro se enquadra a todos os tipos de indústrias, facilitando ainda na redução de custos com o pós-tratamento do particulado, visto que ele gera um dejeto seco.

Como desvantagem principal, pode-se citar o custo de manutenção e de operação do equipamento.

Assim, para garantir a máxima eficiência, é fundamental que a indústria disponha de uma equipe com conhecimento para operação e manutenção preventiva do equipamento. Visto que para terem eficiência, os filtros de mangas demandam: Linha de ar comprimido que funcione perfeitamente, uma pressão que seja estável, além de baixos teores de água e óleo para obtenção de uma boa performance de limpeza (filtros tipo jato pulsante).

Vale ressaltar também, que o equipamento de filtração das mangas não tolera condensação de umidade elevada ou ácidos, nem temperaturas gasosas maiores que o limite de temperatura que a manga filtrante suporta.

Dessa forma, as condições térmicas e químicas do fluxo de gases e, do particulado, além da granulometria do particulado são fundamentais na escolha de uma fibra que resista a esta combinação de variáveis.

Filtro de mangas na queima de biomassa como combustível

Nos últimos anos, a queima de biomassa realizada em caldeiras vem ganhando bastante adeptos. Mas como sabemos, esta queima costuma emitir uma quantidade de material particulado relativamente superior quando comparada à queima de combustíveis fósseis.

Tal ocorrência requer, por parte da indústria, investimentos em sistemas de filtragem altamente eficientes.

Neste sentido, muitas indústrias costumam utilizar 2 tipos de filtros de forma sequencial: multiciclone e filtro de mangas. O primeiro, tem a função de reter as partículas maiores, já o filtro de mangas, tem a função de reter as partículas mais finas e o ganho, neste sentido, pode ser bastante importante.

Em algumas indústrias, as cinzas captadas neste processo têm características fertilizantes e, por isso, podem se destinar à fabricação de adubo orgânico ou, compostagem, gerando renda extra à indústria. Como exemplo podemos citar a cinza da casca de arroz, que contém sílica e potássio, elementos benéficos para o solo.

Para ficar por dentro de todas as nossas novidades no blog, não deixe de acompanhar. Aproveite e confira sobre o consumo de combustível em caldeiras. Até a próxima!